Africa Basquetebol

02 julho 2015

ANGOLA : Selecção Nacional continua em terra



Combinado nacional vai continuar a trabalhar no país até que a direcção da Federação angolana resolva a questão das verbas
Fotografia: Jornal dos Desportos
Pela terceira vez consecutiva, a Selecção Nacional de basquetebol em seniores masculino, que projecta a  participação na 28ª edição do Campeonato Africano das Nações da Tunísia, de 19 a 30 de Agosto do ano em curso, viu adiada a  viagem para  Espanha, por falta de verbas, conforme apurou o Jornal dos Desportos de fonte federativa.

Depois de ter falhado o embarque nos dias 28 e 29 de Junho, a direcção da Federação Angolana de Basquetebol, encabeçada por Paulo Alexandre Madeira, remarcou a viagem para o dia 05, mas devido à falta de verbas, o órgão reitor da modalidade viu mais uma vez esfumada a pretensão de colocar a Selecção Nacional em Espanha, palco do estágio derradeiro do combinado nacional, que vai em busca do apuramento aos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro, em 2016.

Em face do constrangimento, o novo seleccionador nacional, Moncho López, viu-se forçado a reformular o  plano de preparação, dado que pretendia ficar em Luanda, por um período de uma semana.Sem ter uma data concreta para a viagem a Lisboa,  em trânsito para Espanha, o seleccionador nacional vai continuar a aperfeiçoar no país os fundamentos técnicos e tácticos, dando uma maior atenção para a componente física.

Aliás, a Selecção Nacional conta desde terça-feira, com um novo preparador físico, Miguel Angel   Hoyos, que substitui o angolano Pedro Santos, que preparou as selecções seniores, em ambas as classes, para os Campeonatos do Mundo de Espanha e Turquia respectivamente, em 2014. Apesar da incerteza que paira, relativamente à viagem do “cinco” nacional, Moncho Lopez, acredita no cumprimento do calendário dos jogos de controlo que estão previamente programados.

“Infelizmente, já não saímos no domingo como era nossa pretensão. Acabei de ser informando pela federação que o grupo já não segue viagem na terceira data que tínhamos acordado. São condicionalismos que não compete a mim resolver, mas espero muito sinceramente poder cumprir com os jogos de controlo que programamos”, desabafou o seleccionador nacional. Segundo apuramos de fonte federativa, a Selecção Nacional deve deixar Luanda em princípio no dia 09 do mês em curso, um dia antes da realização do primeiro amistoso, com a similar da Venezuela, isto, em território espanhol.

Naquele país da pesínsula ibérica, os hendecacampeões africanos vão realizar dez jogos de controlo, números que o técnico Moncho López considera suficientes para dar traquejo à Selecção Nacional, para  a conquista da 28ª edição do Campeonato Africano das Nações da Tunísia.Antes de deixar Espanha, com destino ao palco da competição, o combinado nacional vai participar de um torneio internacional, com selecções do Senegal, Polónia e Espanha. 

A Selecção Nacional disputa a fase preliminar da 28ª edição do Afrobasket inserida no Grupo B, ao lado das selecções do Senegal, Marrocos e Moçambique. A Tunísia, país anfitrião, encabeça o Grupo A, do qual fazem parte o Uganda, Nigéria e a República Centro Africana. O Egipto, Gabão, Mali e Camarões estão no Grupo C, ao passo que  a Costa do Marfim, Cabo Verde, Argélia e Zimbabwe completam o Grupo D.

Reacção
Jungo radiante
com a chamada


O extremo base, Alexandre Jungo, campeão africano de sub-16, em 2013, mostrou-se radiante com a convocatória do técnico Carlos Dinis, para  os X Jogos Africanos do Congo Brazzaville, prova a decorrer de 09 a 18 de Setembro.Em declarações ontem, ao Jornal dos Desportos, o campeão africano e mundialista (sub-17), assegurou que tudo vai fazer para constar do lote dos 12 atletas que vão representar as cores do país, no chamado “Jogos Olímpicos Africanos”.

“Para mim é motivo de grande satisfação por ter sido chamado para a selecção sénior que vai preparar os Jogos do Congo Brazzaville. Gostaria de agradecer à minha família que muito  me tem  apoiado, um agradecimento que é extensivo à direcção da Federação e ao técnico Carlos Dinis”. Apesar da grande concorrência, o jovem jogador que  mostrou-se  destemido, assumiu que vai lutar por um lugar entre os 12 que vão ao Congo Brazzaville.

“Todo e qualquer atleta é ambicioso por natureza. Tenho consciência que estou num grupo de atletas com elevada experiência quer nas equipas seniores por onde militam, quer a nível das selecções principais, mas tudo farei para poder constar da lista dos 12 que vão representar o país nos Jogos Africanos”, asseverou o campeão africano, que alimenta o sonho de um dia actuar na melhor liga do mundo, a NBA.Os meus objectivos como jogador passam por um dia conquistar um lugar na selecção principal e como é evidente, jogar na melhor liga, a NBA. Para a consumação destes objectivos terei que trabalhar arduamente e felizmente, tenho estado a trabalhar para realizar todos os meus sonhos”, revelou o extremo base do Futebol Clube Vila Clotilde.

Alexandre Jungo, que foi o melhor ressaltador no Campeonato Africano das Nações de sub-16, prova disputada em Antananarivo, afirmou que na altura recebeu vários convites de clubes europeus que preferiu decliná-los. “Sou muito jovem e não tenho pressa em atingir outros patamares. Com o trabalho que tenho estado a realizar no meu clube acredito que futuramente poderei alcançar o meu sonho de jogar na melhor liga”, finalizou o jovem atleta.

Para os Jogos Africanos do Congo Brazzaville, a dupla técnica Carlos Dinis/Jacinto Olím “Jabila” convocou os seguintes atletas: Armando Costa, Hermenegildo Santos, Edmir Lucas, Edson Ndoniema, Islando Manuel, Felizardo Ambrósio, Reggie Moore, Johne Pedro e Mohamed Cissé (1º de Agosto), Valdelício Joaquim e Braúlio Morais (Recreativo do Libolo), Domingos Bonifácio, Hermenegildo Mbunga, Gerson Gonçalves e Roberto Fortes (Atlético Petróleos de Luanda), Zola Paulo, Egidio Ventura e Carlos Cabral (Atlético Sport Aviação ASA), Paulo Barros (Grupo Desportivo Interclube), Alexandre Jungo e Gerson Domingos (Futebol Clube Vila Clotilde), Moisés César (Sporting do Bié), Yanick Moreira, Bruno Fernandes, Ricardo Ucuahamba e Sílvio Sousa, todos a militarem em universidades norte-americanas.                                        

7 Comments:

Enviar um comentário

<< Home