Africa Basquetebol

04 maio 2016

ANGOLA : Petro assume a liderança



Presença de Lazare Adingono serviu de ténico para o Petro vergar o seu opositor
Fotografia: José Cola

A formação do Atlético Petróleos de Luanda assumiu a liderança do Grupo A da fase de Qualificação da 38ª edição do Campeonato Nacional de basquetebol em seniores masculino, agora com quatro pontos, ao derrotar ontem, em pleno no Pavilhão Victorino Cunha, o arqui-rival, 1º de Agosto, por 87-94, em partida a contar para a segunda jornada do referido grupo.

Depois de ter vencido o Grupo Desportivo Interclube, por 112-109, na ronda inaugural da fase de Qualificação, isto na última sexta-feira, ontem, o Atlético Petróleos de Luanda vergou o 1º de Agosto, por 94-87, em pleno Pavilhão Victorino Cunha, quando ao cabo dos primeiros 24 minutos perdia por escassos dois pontos de diferença (49-47).

Sem Mohamed Malick Cissé e Johne Pedro, ambos a recuperarem das respectivas mazelas, a formação militar entrou melhor na partida, ao contrário do seu opositor que se mostrou bastante nervosa, fundamentalmente, nos primeiros cinco minutos do quarto inicial.

Ao contrário das últimas partidas da 38ª edição do Campeonato Nacional de basquetebol em seniores masculinos, vulgo BIC Basket, ontem o jovem Hermenegildo Santos foi relegado para o segundo plano, em detrimento do experiente Armando Costa que assumiu de forma competente as acções ofensivas da equipa rubro e negra.
O equilíbrio acabou por prevalecer nos primeiros 24 minutos, onde as duas equipas exibiram-se ao mais alto nível, para gáudio de centenas de adeptos que acorreram em massa no místico Pavilhão Victorino Cunha, para testemunhar o embate entre duas das melhores equipas da actualidade no país e no continente berço da humanidade.

Depois dos petrolíferos da capital assumirem o comando das operações no terceiro quarto 60-62, o jovem Hermenegildo Santos foi chamado a conduzir as acções ofensivas do Clube Central das Forças Armadas Angolanas.

Com dois lançamentos a longa distância, o medalha de ouro dos XI Jogos Africanos de Brazzaville, permitiu a equipa militar assumir o comando das operações.

Aliás, no terceiro período, era frequente as mutações no marcador, dado a determinação evidenciado pelas duas agremiações, fundamentalmente, nos dois primeiros períodos, onde o equilíbrio foi a tónica do desafio.

Entretanto, o equilíbrio voltou a prevalecer nos quartos subsequentes, com as duas colectividades a proporcionarem um grande espectáculo da "bola ao cesto".

 Sob liderança do camaronês Lazare Adingono, técnico que esteve a cumprir castigo federativo, a equipa do Eixo-viário superiorizou-se nos minutos finais da partida, ao contrário do seu oponente que denotou algumas fragilidades  no capítulo defensivo.

 A vitória do Atlético Petróleos de Luanda não sofre qualquer contestação, porquanto foi a formação que sobe explorar convenientemente os erros do seu adversário que averbou a sua terceira derrota na 38ª edição do  Campeonato Nacional da "bola ao cesto".

Com esta vitória, os petrolíferos da capital assumiram a liderança da fase de Qualificação, agora com quatro pontos, seguido do Recreativo do Libolo e 1º de Agosto, ambos com três pontos. Nas posições imediatas estão o Grupo Desportivo Interclube e Atlético Sport Aviação (ASA), com dois e um ponto respectivamente.

26 abril 2016

ANGOLA : Jacqueline Francisco aplaude novo modelo



Clube Central das For�as Armadas Angolanas � o actual campe�o nacional
Fotografia: Jos� Cola
A técnica-adjunta da equipa sénior feminina do 1º de Agosto, Jacqueline Francisco,   mostrou-se satisfeita com os novos moldes de disputa da 31ª edição do Campeonato Nacional da modalidade, competição que arranca a 28 de Junho.

Ao contrário dos anos anteriores, este ano, a competição que vai decorrer de 28 de Junho a 24 de Julho em Luanda, tem como principal novidade à introdução da meia-final a ser jogada a melhor de três, ao passo que a final joga-se a melhor de cinco partidas.

A antiga internacional angolana, hoje treinadora-adjunta do Clube Central das Forças Armadas Angolanas, teceu tais considerações, na quarta-feira logo após o sorteio da 31ª edição do Campeonato Nacional de basquetebol em seniores feminino.

"Saímos satisfeitos porque não foge muito daquilo que tem sido a competição, quer a nível do Campeonato Nacional, quer a nível da Taça de Angola em que os modelos são praticamente semelhantes. Tivemos uma pequena alteração em relação ao Campeonato Nacional, que ao contrário do ano passado, vamos jogar uma meia-final à melhor de três partidas e uma final à melhor de cinco jogos.

Deve dizer que uma alteração de extrema importância, dado ao trabalho que os clubes têm desempenhado, acabam por treinar mais e jogar menos. Com este pequena alteração vamos aumentar o número de jogos das equipas, ganhando como é evidente as próprias jogadores que se têm queixado de poucos jogos durante a época", reconheceu Jacqueline Francisco.

Na qualidade de campeã nacional em título, a formação militar vai entrar na competição para revalidar o ceptro.

"Naturalmente, que não poderíamos pensar noutro objectivo senão na revalidação do título nacional, respeitando como é evidente todos os nossos adversários".
Por outro lado, Jacqueline Francisco mostrou  indignação pelo actual estado que a modalidade  atravessa no país.

"O quadro do basquetebol feminino não é seguramente satisfatório. Precisamos rapidamente de melhorar o actual quadro, apostar claramente na massificação e por via disso, aumentar-se o número de clubes. Mesmo a nível de escalões de formação, temos assistido a campeonatos nacionais de sub-14 a serem jogados por apenas quatro equipas.

Se nós pretendemos que o quadro se altere para melhor, temos necessariamente de mudar algumas políticas desportivas, não apenas a nível dos clubes, mas também a nível das estruturas que supervisionam a modalidade".

ANGOLA : Libolo faz acertos na fase derradeira

mir
Libolenses entram para a fase de Qualifica��o com um ponto de bonifica��o e disputam os dois primeiros desafios em casa
Fotografia: Jos� Cola
Com dois troféus na Galeria, a formação do Recreativo do Libolo acerta os últimos detalhes para atacar a fase de Qualificação da 38ª edição do Campeonato Nacional de basquetebol em seniores masculino (BIC Basket), competição que arranca sexta-feira,  dia 29, com a disputa de quatro partidas.

Os libolenses, vencedores do Grupo A, com 10 pontos, entram em cena apenas no sábado, quando receberem no Pavilhão do Dream Space, em Viana, a formação do Grupo Desportivo Interclube.

O Recreativo do Libolo entra para a fase de Qualificação com um ponto de bonificação, em virtude de ter vencido o Grupo A, superando a equipa do 1º de Agosto, vencedora da fase regular da 38ª edição do BIC Basket.

A formação da vila de Calulo vai disputar as duas primeiras partidas da fase de Qualificação na condição de equipa visitada, por ter vencido o Grupo A da aludida competição.
Depois de ter vencido a Supertaça Wlademiro Romero, competição que abre oficialmente a época desportiva nacional, superando o Atlético Petróleos de Luanda, na última sexta-feira, os libolenses voltaram a bater os petrolíferos da capital, por 95-105, desta,  para a final da 32ª edição da Taça de Angola,  segunda prova mais importante do calendário do órgão reitor da modalidade.

Com os dois troféus conquistados, o Recreativo do Libolo tem agora as baterias direccionados para o BIC Basket,  onde a meta passa pela conquista da 38ª edição do Campeonato Nacional de basquetebol em seniores masculino.

O técnico  Norberto Alves volta a trabalhar esta manhã no seu reduto, na projecção ao jogo de sábado, em que a meta passa pela conquista dos dois pontos em disputa.
Sem o base Braúlio Morais que continua à contas com uma lesão, Norberto Alves tem incidido os seus trabalhos nos aspectos defensivos, sem descurar a componente ofensiva.
 Os libolenses folgam na primeira jornada da fase de Qualificação, por imperativo de calendário.

Tal como o Recreativo do Libolo, as demais agremiações ultimam os preparativos para abordarem da melhor maneira a fase de Qualificação.

Na sexta-feira, para o Grupo B, o Clube Desportivo da Marinha de Guerra recebe no Pavilhão Vitorino Cunha a partir das 16h00 o Clube Desportivo Universidade Lusíada, ao passo que as 19h00, no Pavilhão Victorino Cunha, o 1º de Agosto mede forças com o Atlético Sport Aviação (ASA) para o Grupo A. Ainda para o mesmo Grupo, o Atlético Petróleos de Luanda defronta o Grupo Desportivo Interclube, desafio marcado para o Pavilhão Principal da Cidadela, a partir das 18h00.

No fecho do Grupo B, o Futebol Clube Vila Clotilde defronta a partir das 18h00 no Pavilhão 28 de Fevereiro, o Progresso Associação do Sambizanga.
No sábado, para a segunda jornada, o Libolo mede forças com Interclube, o 1º de Agosto tem a visita do Atlético Petróleos de Luanda, ao passo que para o Grupo B, a Lusíada defronta o Progresso e Vila vai enfrentar o Sporting de Benguela.

10 abril 2016

ANGOLA ; Leonel desfalca Petro



O internacional angolano, Leonel Paulo, extremo poste, vai desfalcar a forma��o do Atl�tico Petr�leos de Luanda
Fotografia: Jornal dos Desportos
O internacional angolano, Leonel Paulo, extremo poste, vai desfalcar a formação do Atlético Petróleos de Luanda na segunda mão das meias finais da 32ª edição da Taça de Angola de basquetebol, frente ao Atlético Sport Aviação (ASA), partida marcada para a terça-feira, no Pavilhão Anexo número dois da Cidadela Desportiva, em virtude de ter sido expulso na última sexta-feira, na derrota da sua equipa diante do 1º de Agosto, por 77-97, desafio a contar para a quarta jornada do Grupo A do BIC Basket.

O Jornal dos Desportos apurou junto de fonte federativa, que o internacional angolano deve cumprir dois a um jogo de suspensão, para além do pagamento de uma multa. Em face disso, o técnico camaronês Lazare Agingono não vai poder contar com os préstimos do internacional angolano para o embate da próxima terça-feira, diante dos aviadores. Leonel Paulo, a par de Reggie Moore, Domingos Bonifácio, Gerson Gonçalves tem sido das unidades em grande destaque no plantel da equipa tricolor.

Apesar de ter vencido no jogo da primeira mão das meias-finais da Taça de Angola, por 107-65, a equipa vai aparecer com a mesma determinação, de forma a não ser surpreendida pelos aviadores, que na presente época desportiva já pregaram susto a dois colossos da "bola ao cesto", designadamente, Recreativo do Libolo e 1º de Agosto, para o Campeonato Nacional de basquetebol em seniores masculinos.

Já na outra meia-final, o Clube Central das Forças Armadas Angolanas, que perdeu na primeira mão, por 94-101, recebe no Pavilhão Victorino Cunha, o Recreativo do Libolo.   

06 abril 2016

angola :imir Militares perderam diante o Libolo Fotografia: Miqueias Machangongo Com 33 pontos do extremo base norte-americano, Roderick Nealy, a equipa do Recreativo do Libolo recebeu e venceu ontem, no Pavilhão do Dream Space em Viana, o 1º de Agosto, por 101-94, em partida a contar para a primeira mão das meias-finais da 32ª edição da Taça de Angola de Basquetebol em seniores masculinos. Depois de um mau começo de jogo, onde eram cometidos erros sistemáticos, fundamentalmente, nos aspectos ofensivos, Recard Casas, técnico espanhol ao serviço da equipa militar foi obrigado, num ápice, a solicitar dois Time Out (desconto de tempo) para serenar os seus pupilos que estavam bastante nervosos. Com o internacional angolano, Carlos Morais, a liderar as ações ofensivas da equipa caseira, tão cedo a formação da vila de Calulo assumiu a liderança do marcador. A três minutos e 52 segundos, os libolenses venciam por uma margem confortável 14 pontos (22-8). Ante a passividade da defensiva militar, aliado a apatia do seu ataque, Ricard Casas solicitou dois Time Out, tendo o Recreativo do Libolo permitido que o seu opositor fizesse um parcial de 16-0, o que perfez 22-24, ao cabo dos primeiros 12 minutos. Armando Costa, Edson Ndoniema, Mahamed Malick Cissé e Hermenegildo Santos eram os jogadores mais inconformados nesta etapa de jogo. E quando se espera pela mesma postura no segundo quarto, incompreensivelmente, os militares baixaram de rendimento fruto da maior pressão exercida pelo Recreativo do Libolo que passou a apostar mais nos lançamentos a longa distância, com o norte-americano Joanthan Wallace a ser o mais concretizador. Três falhanços do jovem Jorge Taty a longa distância retirou a confiança que a equipa conseguiu na ponta final do primeiro período, onde os militares passearam classe. Em face disso, os libolenses melhoraram o seu jogo ofensivo, tendo marcado 27 pontos, contra apenas 14 da formação rubro e negra, o que perfez 49-39, ao cabo dos primeiros 24 minutos. O Libolo nesta etapa acabou por ser superior em todos os itens. Nos lançamentos a longa distância a equipa caseira conseguiu nos primeiros 24 minutos 67 por cento, contra 35 do seu opositor. Já nos dois pontos, os pupilos de Norberto Alves fizeram 60 por cento, ao passo que os comandados de Ricard Casas obtiveram 45 por cento. Nos lançamentos livres a formação caseira obteve 63 por cento, ao passo que os forasteiros conseguiram apenas 41 por cento. No terceiro período, o Libolo manteve o comando das operações, apostando fortemente nos lançamentos exteriores, dado a passividade da defesa contrária, que permitia tudo e mais alguma coisa. Ricardo Casas e Norberto Alves também faziam um duelo a parte, com solicitações sistemáticas de Time Out. O 1º de Agosto até então adormecido, acordou bem na ponta final do terceiro período, com o jovem Islando Manuel a ser o principal responsável pela recuperação do marcador. Com três lançamentos a longa distância, a equipa militar conseguiu reduzir a vantagem de doze pontos para apenas dois (70-68). Contra todas as expectativas, os libolenses não conseguiram conservar uma vantagem 12 pontos, permitindo o seu adversário reduzir para sete, ao cabo dos 48 minutos. Riderick Nealy, com 33 pontos foi o cestinha da partida, seguido pelo seu companheiro de equipa, Carlos Morais, com 24 pontos. Islando Manuel e Edson Ndoniema, do lado militar, marcaram 17 pontos cada. FICHA TÉCNICA Pavilhão: Dream Space Comissário: David Dias Arbitragem: Carlos Júlio, Clésio Francisco e Mbunga Pedro Recreativo do Libolo Olímpio Cipriano -14 | Jonathan Wallace - 7 | Carlos Morais - 24 | Roberto Forte - 0 | Vladimir Pontes - 0 Roderick Nealy - 33 | Valdelicio Joaquim - 0 | Zola Paulo - 0 | Eduardo Mangas - 9 | Jiseney Joaquim - 0 Benvindo Quimbamba - 4 | Milton Barros - 10 |Treinador: Norberto Alves| 1 de Agosto Francisco Sousa - 0 | Edson Ndoniema - 17 | Armando Costa - 4 | Jorge Taty - 0 | F. Ambrósio “Miller” - 8 Joaquim Gomes “Kikas” - 3 | Mutu Fonseca - 2 | Cedrick Ison - 11 | Hermenegildo Santos - 9 Islando Manuel - 17 | Mohamed Malick Cissé - 13 | Tariq Kirksay - 10 |Treinador: Ricard Casas| Marcha do marcador: |22-24|, |49-39|, |74-70|, |101-94| SUPREMACIA Petrolíferos aplicam chapa cem aos aviadores A formação do Atlético Petróleos de Luanda deu um passo de gigante rumo ao apuramento a final da 32ª edição da Taça de Angola de basquetebol em seniores masculino, ao vencer ontem, no Pavilhão Principal da Cidadela Desportiva, o Atlético Sport Aviação (ASA), por expressivos 107-65, em partida a contar para a primeira mão das meias-finais da aludida competição. Com este resultado bastante volumoso (107-65), os pupilos de Lazare Adingono têm praticamente assegurado o passe de acesso à final da da edição 32 da segunda maior competição do país, a nível da “bola ao cesto”, partida agenda para o dia 23 do mês em curso, em princípio no Pavilhão Principal da Cidadela Desportiva. O resultado final acaba por espelhar a supremacia evidenciada pelos petrolíferos da capital que estão fortemente engajados na conquista do ceptro, que se encontra em posse do Recreativo do Libolo. Depois de ter realizado duas grandes partidas para a fase de Grupos do BIC Basket, diante de dois colossos da modalidade, nomeadamente, 1º de Agosto e Recreativo do Libolo, tendo perdido por 60-67 e 72-78, a turma aviadora não conseguiu manter a mesma passada ontem, frente a equipa tricolor. As duas equipas voltam a se defrontar na próxima terça-feira, desta para a segunda mão das meias-finais da 32ª edição da Taça de Angola, desafio marcado para o Pavilhão Anexo número dois. DECLARAÇÕES TÉCNICO DO LIBOLO Norberto Alves - “Fomos infantis” Apesar da vitória, por 101-94, o técnico principal do Recreativo do Libolo, Norberto Alves, mostrou-se muito aborrecido com a postura dos seus atletas na ponta final do desafio, em que permitiram a equipa militar reduzir a vantagem de 12 pontos para sete. “Hoje fomos infantis, porque se tivéssemos a mesma concentração talvez sairíamos daqui com um resultado melhor. Uma equipa de alta competição não pode cometer erros desde tipo. Vamos continuar a trabalhar porque acredito que a eliminatória ainda está em aberto”, reconheceu o comandante do Recreativo do Libolo TÉCNICO DO 1 ºde Agosto Ricard Casas “Falhamos muito” Por seu lado, Ricard Casas, técnico principal do 1º de Agosto, reconheceu a supremacia do seu adversário, tendo afirmado que tudo farão para virar a eliminatória. “Penso que foi uma grande partida, as duas equipas proporcionaram um bom espectáculo de basquetebol. Creio que o Libolo acabou por ser mais feliz, porque soube explorar mais as nossas fraquezas. Vamos analisar o jogo de hoje, identificar os erros, para que na terça-feira possamos corrigir”. MC



imir
Militares perderam diante o Libolo
Fotografia: Miqueias Machangongo
Com 33 pontos do extremo base norte-americano, Roderick Nealy, a equipa do Recreativo do Libolo recebeu e venceu ontem, no Pavilhão do Dream Space em Viana, o 1º de Agosto, por 101-94, em partida a contar para a primeira mão das meias-finais da 32ª edição da Taça de Angola de Basquetebol em seniores masculinos.

Depois de um mau começo de jogo, onde eram cometidos erros sistemáticos, fundamentalmente, nos aspectos ofensivos, Recard Casas, técnico espanhol ao serviço da equipa militar foi obrigado, num ápice, a solicitar dois Time Out (desconto de tempo) para serenar os seus pupilos que estavam bastante nervosos.

Com o internacional angolano, Carlos Morais, a liderar as ações ofensivas da equipa caseira, tão cedo a formação da vila de Calulo assumiu a liderança do marcador. A três minutos e 52 segundos, os libolenses venciam por uma margem confortável 14 pontos (22-8).

Ante a passividade da defensiva militar, aliado a apatia do seu ataque, Ricard Casas solicitou dois Time Out, tendo o Recreativo do Libolo permitido que o seu opositor fizesse um parcial de 16-0, o que perfez  22-24, ao cabo dos primeiros 12 minutos.

Armando Costa, Edson Ndoniema, Mahamed Malick Cissé e Hermenegildo Santos eram os jogadores mais inconformados nesta etapa de jogo.

E quando se espera pela mesma postura no segundo quarto, incompreensivelmente, os militares  baixaram de rendimento fruto da maior pressão exercida pelo Recreativo do Libolo que passou a apostar mais nos lançamentos a longa distância, com o norte-americano Joanthan Wallace a ser o mais concretizador.

Três falhanços do jovem Jorge Taty a longa distância retirou a confiança que a equipa conseguiu na ponta final do primeiro período, onde os militares passearam classe.

Em face disso, os libolenses melhoraram o seu jogo ofensivo, tendo marcado 27 pontos, contra apenas 14 da formação  rubro e negra, o que perfez 49-39, ao cabo dos primeiros 24 minutos.

O Libolo nesta etapa acabou por ser superior em todos os itens. Nos lançamentos a longa distância a equipa caseira conseguiu nos primeiros 24 minutos 67 por cento, contra 35 do seu opositor. Já nos dois pontos, os pupilos de Norberto Alves fizeram 60 por cento, ao passo que os comandados de Ricard Casas obtiveram 45 por cento. Nos lançamentos livres a formação caseira obteve 63 por cento, ao passo que os forasteiros conseguiram apenas 41 por cento.

No terceiro período, o Libolo manteve o comando das operações, apostando fortemente nos lançamentos exteriores, dado a passividade da defesa contrária, que permitia tudo e mais alguma coisa. Ricardo Casas e Norberto Alves também faziam um duelo a parte, com solicitações sistemáticas de Time Out.

O 1º de Agosto até então adormecido, acordou bem na ponta final do terceiro período, com o jovem Islando Manuel a ser o principal responsável pela recuperação do marcador. Com três lançamentos a longa distância, a equipa militar conseguiu reduzir a vantagem de doze pontos para apenas dois (70-68).

Contra todas as expectativas, os libolenses não conseguiram conservar uma vantagem 12 pontos, permitindo o seu adversário reduzir para sete, ao cabo dos 48 minutos.

Riderick Nealy,  com 33 pontos foi o cestinha da partida, seguido pelo seu companheiro de equipa, Carlos Morais, com 24 pontos. Islando Manuel e Edson Ndoniema, do lado militar, marcaram 17 pontos cada.

FICHA TÉCNICA

    Pavilhão: Dream Space
Comissário: David Dias    Arbitragem: Carlos Júlio, Clésio Francisco e Mbunga Pedro

Recreativo do Libolo
Olímpio Cipriano -14 | Jonathan Wallace - 7 | Carlos Morais - 24 | Roberto Forte - 0 | Vladimir Pontes - 0
Roderick Nealy - 33 | Valdelicio Joaquim - 0 | Zola Paulo - 0 | Eduardo Mangas - 9 | Jiseney Joaquim - 0
Benvindo Quimbamba - 4 | Milton Barros - 10 |Treinador: Norberto Alves|

1 de Agosto
Francisco Sousa - 0 | Edson Ndoniema - 17 | Armando Costa - 4 | Jorge Taty - 0 | F. Ambrósio “Miller” - 8
Joaquim Gomes “Kikas” - 3 | Mutu Fonseca - 2  | Cedrick Ison - 11 | Hermenegildo Santos - 9
Islando Manuel - 17 | Mohamed Malick Cissé - 13 | Tariq Kirksay - 10 |Treinador: Ricard Casas|

Marcha do marcador: |22-24|, |49-39|, |74-70|, |101-94|


SUPREMACIA
Petrolíferos aplicam chapa cem aos aviadores


A formação do Atlético Petróleos de Luanda deu um passo de gigante rumo ao apuramento a final da 32ª edição da Taça de Angola de basquetebol em seniores masculino, ao vencer ontem, no Pavilhão Principal da Cidadela Desportiva, o Atlético Sport Aviação (ASA), por expressivos 107-65, em partida a contar para a primeira mão das meias-finais da aludida competição.

Com este resultado bastante volumoso (107-65), os pupilos de Lazare Adingono têm praticamente assegurado o passe de acesso à final da da edição 32 da segunda maior competição do país, a nível da “bola ao cesto”, partida agenda para o dia 23 do mês em curso, em princípio no Pavilhão Principal da Cidadela Desportiva.
O resultado final acaba por espelhar a supremacia evidenciada pelos petrolíferos da capital que estão fortemente engajados na conquista do ceptro, que se encontra em posse do Recreativo do Libolo.

Depois de ter realizado duas grandes partidas para a fase de Grupos do BIC Basket, diante de dois colossos da modalidade, nomeadamente, 1º de Agosto e Recreativo do Libolo, tendo perdido por 60-67 e 72-78, a turma aviadora não conseguiu manter a mesma passada ontem, frente a equipa tricolor.

As duas equipas voltam a se defrontar na próxima terça-feira, desta para a segunda mão das meias-finais da 32ª edição da Taça de Angola, desafio marcado para o Pavilhão Anexo número dois.  

DECLARAÇÕES
TÉCNICO DO LIBOLO
Norberto Alves  -
“Fomos infantis”

Apesar da vitória, por 101-94, o técnico principal do Recreativo do Libolo, Norberto Alves, mostrou-se muito aborrecido com a postura dos seus atletas na ponta final do desafio, em que permitiram a equipa militar reduzir a vantagem de 12 pontos para sete.
“Hoje fomos infantis, porque se tivéssemos a mesma concentração talvez sairíamos daqui com um resultado melhor. Uma equipa de alta competição não pode  cometer erros desde tipo. Vamos continuar a trabalhar porque acredito que a eliminatória ainda está em aberto”, reconheceu o comandante do Recreativo do Libolo


TÉCNICO DO 1 ºde Agosto
Ricard Casas
“Falhamos muito”

Por seu lado, Ricard Casas, técnico principal do 1º de Agosto, reconheceu a supremacia do seu adversário, tendo afirmado que tudo farão para virar a eliminatória.
“Penso que foi uma grande partida, as duas equipas proporcionaram um bom espectáculo de basquetebol. Creio que o Libolo acabou por ser mais feliz, porque soube explorar mais as nossas fraquezas. Vamos analisar o jogo de hoje, identificar os erros, para que na terça-feira possamos corrigir”.
MC
o
Fotografia: Miqueias Machangongo

Com 33 pontos do extremo base norte-americano, Roderick Nealy, a equipa do Recreativo do Libolo recebeu e venceu ontem, no Pavilhão do Dream Space em Viana, o 1º de Agosto, por 101-94, em partida a contar para a primeira mão das meias-finais da 32ª edição da Taça de Angola de Basquetebol em seniores masculinos.

Depois de um mau começo de jogo, onde eram cometidos erros sistemáticos, fundamentalmente, nos aspectos ofensivos, Recard Casas, técnico espanhol ao serviço da equipa militar foi obrigado, num ápice, a solicitar dois Time Out (desconto de tempo) para serenar os seus pupilos que estavam bastante nervosos.

Com o internacional angolano, Carlos Morais, a liderar as ações ofensivas da equipa caseira, tão cedo a formação da vila de Calulo assumiu a liderança do marcador. A três minutos e 52 segundos, os libolenses venciam por uma margem confortável 14 pontos (22-8).

Ante a passividade da defensiva militar, aliado a apatia do seu ataque, Ricard Casas solicitou dois Time Out, tendo o Recreativo do Libolo permitido que o seu opositor fizesse um parcial de 16-0, o que perfez  22-24, ao cabo dos primeiros 12 minutos.

Armando Costa, Edson Ndoniema, Mahamed Malick Cissé e Hermenegildo Santos eram os jogadores mais inconformados nesta etapa de jogo.

E quando se espera pela mesma postura no segundo quarto, incompreensivelmente, os militares  baixaram de rendimento fruto da maior pressão exercida pelo Recreativo do Libolo que passou a apostar mais nos lançamentos a longa distância, com o norte-americano Joanthan Wallace a ser o mais concretizador.

Três falhanços do jovem Jorge Taty a longa distância retirou a confiança que a equipa conseguiu na ponta final do primeiro período, onde os militares passearam classe.

Em face disso, os libolenses melhoraram o seu jogo ofensivo, tendo marcado 27 pontos, contra apenas 14 da formação  rubro e negra, o que perfez 49-39, ao cabo dos primeiros 24 minutos.

O Libolo nesta etapa acabou por ser superior em todos os itens. Nos lançamentos a longa distância a equipa caseira conseguiu nos primeiros 24 minutos 67 por cento, contra 35 do seu opositor. Já nos dois pontos, os pupilos de Norberto Alves fizeram 60 por cento, ao passo que os comandados de Ricard Casas obtiveram 45 por cento. Nos lançamentos livres a formação caseira obteve 63 por cento, ao passo que os forasteiros conseguiram apenas 41 por cento.

No terceiro período, o Libolo manteve o comando das operações, apostando fortemente nos lançamentos exteriores, dado a passividade da defesa contrária, que permitia tudo e mais alguma coisa. Ricardo Casas e Norberto Alves também faziam um duelo a parte, com solicitações sistemáticas de Time Out.

O 1º de Agosto até então adormecido, acordou bem na ponta final do terceiro período, com o jovem Islando Manuel a ser o principal responsável pela recuperação do marcador. Com três lançamentos a longa distância, a equipa militar conseguiu reduzir a vantagem de doze pontos para apenas dois (70-68).

Contra todas as expectativas, os libolenses não conseguiram conservar uma vantagem 12 pontos, permitindo o seu adversário reduzir para sete, ao cabo dos 48 minutos.

Riderick Nealy,  com 33 pontos foi o cestinha da partida, seguido pelo seu companheiro de equipa, Carlos Morais, com 24 pontos. Islando Manuel e Edson Ndoniema, do lado militar, marcaram 17 pontos cada.

FICHA TÉCNICA

    Pavilhão: Dream Space
Comissário: David Dias    Arbitragem: Carlos Júlio, Clésio Francisco e Mbunga Pedro

Recreativo do Libolo
Olímpio Cipriano -14 | Jonathan Wallace - 7 | Carlos Morais - 24 | Roberto Forte - 0 | Vladimir Pontes - 0
Roderick Nealy - 33 | Valdelicio Joaquim - 0 | Zola Paulo - 0 | Eduardo Mangas - 9 | Jiseney Joaquim - 0
Benvindo Quimbamba - 4 | Milton Barros - 10 |Treinador: Norberto Alves|

1 de Agosto
Francisco Sousa - 0 | Edson Ndoniema - 17 | Armando Costa - 4 | Jorge Taty - 0 | F. Ambrósio “Miller” - 8
Joaquim Gomes “Kikas” - 3 | Mutu Fonseca - 2  | Cedrick Ison - 11 | Hermenegildo Santos - 9
Islando Manuel - 17 | Mohamed Malick Cissé - 13 | Tariq Kirksay - 10 |Treinador: Ricard Casas|

Marcha do marcador: |22-24|, |49-39|, |74-70|, |101-94|


SUPREMACIA
Petrolíferos aplicam chapa cem aos aviadores


A formação do Atlético Petróleos de Luanda deu um passo de gigante rumo ao apuramento a final da 32ª edição da Taça de Angola de basquetebol em seniores masculino, ao vencer ontem, no Pavilhão Principal da Cidadela Desportiva, o Atlético Sport Aviação (ASA), por expressivos 107-65, em partida a contar para a primeira mão das meias-finais da aludida competição.

Com este resultado bastante volumoso (107-65), os pupilos de Lazare Adingono têm praticamente assegurado o passe de acesso à final da da edição 32 da segunda maior competição do país, a nível da “bola ao cesto”, partida agenda para o dia 23 do mês em curso, em princípio no Pavilhão Principal da Cidadela Desportiva.
O resultado final acaba por espelhar a supremacia evidenciada pelos petrolíferos da capital que estão fortemente engajados na conquista do ceptro, que se encontra em posse do Recreativo do Libolo.

Depois de ter realizado duas grandes partidas para a fase de Grupos do BIC Basket, diante de dois colossos da modalidade, nomeadamente, 1º de Agosto e Recreativo do Libolo, tendo perdido por 60-67 e 72-78, a turma aviadora não conseguiu manter a mesma passada ontem, frente a equipa tricolor.

As duas equipas voltam a se defrontar na próxima terça-feira, desta para a segunda mão das meias-finais da 32ª edição da Taça de Angola, desafio marcado para o Pavilhão Anexo número dois.  

DECLARAÇÕES
TÉCNICO DO LIBOLO
Norberto Alves  -
“Fomos infantis”

Apesar da vitória, por 101-94, o técnico principal do Recreativo do Libolo, Norberto Alves, mostrou-se muito aborrecido com a postura dos seus atletas na ponta final do desafio, em que permitiram a equipa militar reduzir a vantagem de 12 pontos para sete.
“Hoje fomos infantis, porque se tivéssemos a mesma concentração talvez sairíamos daqui com um resultado melhor. Uma equipa de alta competição não pode  cometer erros desde tipo. Vamos continuar a trabalhar porque acredito que a eliminatória ainda está em aberto”, reconheceu o comandante do Recreativo do Libolo


TÉCNICO DO 1 ºde Agosto
Ricard Casas
“Falhamos muito”

Por seu lado, Ricard Casas, técnico principal do 1º de Agosto, reconheceu a supremacia do seu adversário, tendo afirmado que tudo farão para virar a eliminatória.
“Penso que foi uma grande partida, as duas equipas proporcionaram um bom espectáculo de basquetebol. Creio que o Libolo acabou por ser mais feliz, porque soube explorar mais as nossas fraquezas. Vamos analisar o jogo de hoje, identificar os erros, para que na terça-feira possamos corrigir”.
MC

02 março 2016

ANGOLA - FAB esclarece vÍnculo de Yanick ao Petro

Internacional angolano pode fazer a sua estreia na sexta-feira frente ao 1� de Agosto
Fotografia: Miqueias Machangongo



O internacionalangolano,  Yanick Moreira, pode ser a grande novidade na lista dos 12 jogadores do Atlético Petróleos de Luanda, para o embate de sexta-feira, no Pavilhão Principal da Cidadela, diante do arqui- rival, 1º de Agosto,  partida que vai centralizar as atenções da sétima jornada da segunda volta da fase regular da XXXVIII edição do Campeonato Nacional de basquetebol em seniores masculinos, vulgo BIC Basket.

Apesar de ter inscrito 16 atletas para a temporada 2015/2016, a formação do Atlético Petróleos de Luanda viu a inscrição do internacional Yanick Moreira a ser aceite pela direcção da Federação Angolana de Basquetebol (FAB), em virtude de ter dispensado o jovem Eduardo Ferreira que assinou pelo Atlético Sport Aviação (ASA), deixando uma vaga para o atleta que esteve à beira de ingressar na NBA, por via dos Los Angeles Clippers.

Desde que foi inscrito com a licença número 8032, na presente época desportiva, Eduardo Ferreira nunca foi utilizado por Lazare Adingono, quer na Taça dos Clubes Campeões Africanos, prova disputada em Luanda, quer no Campeonato Nacional de basquetebol (BAI Basket).

 Em face disso, o jovem  aproveitou a janela de transferência que terminou na última segunda-feira, dia 29 de Fevereiro, e rubricou um contrato com a direcção do Atlético Sport Aviação (ASA), deixou uma vaga para a equipa petrolífera que preencheu o lugar com o internacional Yanick Moreira, depois de rescindir amigavelmente com o Recreativo do Libolo.

"De facto, o Atlético Petróleos de Luanda já tinha inscrito 16 atletas para a época desportiva 2015/2016, mas o atleta Eduardo Ferreira nunca foi utilizado nessa temporada. Os regulamentos protegem os atletas que estejam nestas condições, daí que a última janela de transferência permite  aos atletas procurarem outras agremiações e foi o caso do Eduardo Ferreira. O Petro e o ASA chegaram a acordo e o atleta  transferiu-se  para a equipa aviadora", revelou a nossa fonte, assegurando  que a inscrição de Yanick Moreira não fere qualquer norma.

O atleta celebrou um contrato com a direcção do equipa do Eixo-viário válido por quatro meses, ou seja, até ao final da época.
Com a entrada do  jogador que brilhou no Campeonato do Mundo de Espanha, ao serviço da Selecção Nacional,  tendo marcado  38 pontos na vitória do combinado nacional frente à similar da Austrália, por 91-83, o técnico camaronês Lazare Adingono viu aumentar  o leque de opções na posição cinco.
Yanick Moreira foi uma das grandes atracções na sessão de treinos da última segunda-feira.

Atletas inscritos pelo Atlético Petróleos de Luanda para a época desportiva 2015/2016: Délcio Ucuamhamba, Gerson Gonçalves, Pedro Bastos, Walter Tadeu, Teotónio Dó, Yanick Moreira, Leonel Pinto, Paulo Santana, Joaquim Pedro, Hermenegildo Mbunga, Domingos Bonifácio, Abou Gakou, Childe Dundão, Emanuel Quezada, Jason Cain e Reggie Moore.

28 fevereiro 2016

ANGOLA - Libolo supera Petro no duelo de candidatos



Libolenses bateram ontem no Pavilh�o da Cidadela os petrol�feros da capital
Fotografia: Jornal dos Desportos
A formação do Atlético Petróleos de Luanda consentiu a sua terceira derrota, na fase regular da XXXVIII edição do Campeonato Nacional de basquetebol em seniores masculino (BIC Basket), ao perdem ontem, em pleno Pavilhão Principal da Cidadela Desportiva, diante do Recreativo do Libolo, por 85-98, desafio que centralizou as atenções da sexta jornada da aludida competição.

 Com esta vitória, os libolenses mantém perseguição ao líder da prova, 1º de Agosto, com 32 pontos, contra 28 da turma da vila de Calulo.

Tal com se esperava, o equilíbrio acabou por ser a tónica do desafio, fundamentalmente, nos dois primeiros quartos, onde as duas equipas recheados de bons valores individuais proporcionaram aos amantes da “bola ao cesto um bom espectáculo.

 Aliás, o facto de as duas agremiações entrarem para a sexta jornada da segunda volta da fase regular da XXXVIII edição do Campeonato Nacional de Basquetebol em seniores masculino, vulgo BIC Basket, com duas derrotas cada, obrigou os dois técnicos a montarem equipas balanceadas no ataque, sem colocar de parte o rigor defensivo.

 Apesar de ter entrado melhor no primeiro período, a formação do Atlético Petróleos de Luanda que esteve privado do poste Teotónio Dó, por castigo federativo, claudicou nos minutos finais, tendo permitido o Recreativo do Libolo terminar com uma vantagem de quatro pontos (20-24).

 A perder por quatro pontos de diferença, os petrolíferos de capital passaram a apostar mais nos lançamentos a longa distância, com o internacional angolano, Reggie Moore, a ser a principal figura, auxiliado por Domingos Bonifácio, também internacional angolano.  As das colectividades no segundo período privilegiavam mais o jogo interior, dada a pressão defensiva.  Os pupilos de Lazare Adingono conseguiram uma parcial de 26-24, o que perfez 46-48, a favor do representante da vila de Calulo. O internacional angolano, Olímpio Cipriano, com um lançamento dos nove metros ao soar do apito, conseguiu colocar em vantagem a sua colectividade por uma margem de dois pontos 46-48.

 Ao contrário dos dois primeiros quartos, a equipa petrolífera entrou algo apática no terceiro período, facto que obrigou o técnico camaronês a solicitar um time out (desconte de tempo), já que a sua rapaziada perdia por uma margem de 11 pontos (50-61).

 Fruto da maior eficácia do seu jogo ofensiva, os libolenses chegaram a vencer por uma margem de 13 pontos (51-64), para a tristeza dos adeptos da turma petrolífera que estiveram em número bastante reduzido.

 Nesta etapa, o Recreativo do Libolo acabou por superiorizar-se, ante uma equipa que só reagiu a dois minutos do fim do terceiro quarto. Os libolenses conseguiram um parcial de 21-16, fixando o resultado em (62-69), à favor da equipa forasteira.

 O quarteto constituído por Olímpio Cipriano, Carlos Morais, Eduardo Mingas, todos internacionais angolanos, e Roderick Nealy, americano de nacionalidade, acabou por desfazer a estratégia montada pelo técnico Lazare Adingono, que leva já duas derrotas com os libolenses e, terceira na geral.

 As estrelas do Libolo brilharam no quarto derradeiro, ao contrário das unidades da formação do Atlético Petróleos de Luanda, que viu a sua principal joia, Emanuel Quezada, em sob rendimento. Quando restavam um minuto e 41 segundos, o base havia anotado apenas dois pontos.

Roderick Nealy, com 20 pontos foi o cestinha da partida, seguido de Olímpio Cipriano, Eduardo Mingas e Carlos Morais, com 16, 15 e 14 pontos respectivamente.  No Petro, Reggie Moore, Jason Cain e Leonel Paulo foram os mais inconformados, com19, 17 e 16 pontos respectivamente. O jovem Gerson Gonçalves terminou com 14 pontos.  Eduardo Mingas foi o rei dos ressaltos, com 17, sendo oito ofensivos e nove defensivos, seguido de Roderick Nealy, com 11 (4/7). Jason Cain conseguiu oito ressaltos.


Pavilhão da Cidadela

Arbitragem: Carlos Júlio e Clésio Francisco
Comissário: Soares de Campos
Petro: Pedro Bastos (4 ), Ricardo Ucuahamba (0 ), Reggie Moore (19 ), Walter Tadeu ( 0), Paulo Santana (0 ), Emanuel Quezada (2 ), Leonel Paulo ( 16), Domingo Bonifácio (8 ), Hermenegildo Mbunga ( 5), Joaquim Pedro ( 0), Gerson Gonçalves ( 14), Jason Cain (17 ).

Treinador: Lazare Adingono
 Libolo: Olímpio Cipriano (18 ), Jonathan Lallace (7 ), Carlos Morais (14 ), Roberto Fortes ( 9), Braúlio Morais ( 2), Roderick Nealy (20 ), Agostinho Coelho (0), Valdelício Joaquim ( 4), Zola Paulo (0), Eduardo Mingas ( 15), Milton Barros ( 5), Manda Joaão ( 0)
Treinador: Norberto Alves

 Marcha do marcador: 20-24, 46-48, 62-69, 85-98

26 fevereiro 2016

ANGOLA - Cestos de luxo na Cidadela



Petro de Luanda procura ensaiar o sistema t�ctico para o jogo de amanh� contra a equipa do ASA
Fotografia: Jornal dos Desportos
Petro de Luanda e Atlético Sport Aviação movimentam hoje, a partir das 16h00, no anexo II da Cidadela Desportiva, a partida da quinta jornada da segunda volta do campeonato nacional sénior masculina de basquetebol. Os campeões nacionais estão no encalço do topo da tabela geral e apresentam-se como favoritos à vitória diante de uma agremiação rejuvenescida.

Dotada de melhores executantes, a equipa do técnico Lazaré Adingonó vai entrar no jogo com rótulo de campeão. O respeito, que se lhe merece, vai exigir adoptar uma estratégia que passa também na cautela defensiva. Expelir o petróleo na "pista" pode ser a boa estratégia para colocar em terra todas as aeronaves. A contenção de ânimos é o elemento psicológico mais importante para evitar surpresas no final do jogo.

Na outra tabela da quadra vai estar um conjunto de "aviadores", ávidos de manter a aeronave no ar. O "comandante" Carlos Dinis, depois de experimentar quatro voos, está ciente das dificuldades que pode encontrar na "pista" e o arranque derrapante pode evitar o deslize na pista.

À entrada da quinta jornada, o Petro de Luanda e Atlético Sport Aviação procuram constar do top-3 do BIC Basket'2016. O duelo promete bons momentos de basquetebol. Os campeões nacionais ocupam o quarto lugar e os aviadores são o sétimo da tabela geral de classificação. Na primeira volta, os tricolores derrotaram os aviadores.

O embate de hoje serve também para ajustar os sistemas tácticos para a partida de amanhã. Petro de Luanda vai receber o Recreativo de Libolo na principal partida da sétima jornada do BIC Basket'2016 na Cidadela Desportiva. Os campeões nacionais têm a missão difícil de contornar o segundo classificado da tabela geral. Depois da derrota na primeira volta,  os petrolíferos vão procurar redimir-se. A missão é difícil.

A equipa do Cuanza Sul caminha para cimentar o segundo lugar da classificação, tendo em vista a segunda fase da competição, em que o líder entra com um ponto de bonificação. Longe do espectáculo de outros tempos, o Recreativo de Libolo ainda apresenta um jogo colectivo agradável, que pode ofuscar a intenção do Petro de Luanda.

Também com olhos no segundo lugar, a equipa do Eixo-viário entra na partida para lograr a vitória. A acontecer, a "tomada de assalto" vai ser uma questão de horas, tendo em conta os dois jogos de atraso. O primeiro está remarcado para 5 de Março, no anexo II, contra o Sporting de Benguela, válido para a primeira jornada, e o segundo, para 18 de Março, no mesmo pavilhão, contra a Marinha de Guerra, válido para a oitava jornada.

Noutras partidas da quinta jornada,  o Vila Clotilde vai receber, às 16h00, no pavilhão 28 de Fevereiro, o 1º de Agosto, líder invicto da competição com 28 pontos.

A Marinha de Guerra, liderado tecnicamente por Paulo Macedo, está na terceira posição com mérito próprio. Hoje, às 16h00, no pavilhão Victorino Cunha, os marinheiros vão jogar com Recreativo de Libolo, o segundo da tabela. O Interclube joga em casa, no pavilhão 28 de Fevereiro, com Lusíada, último da classificação, às 18h30.

Na última partida do dia, o Progresso Sambizanga, oitavo, recebe no pavilhão anexo II da Cidadela Desportiva, o Sporting Clube de Benguela, sexto.

ANGOLA - Cestos de luxo na Cidadela



Petro de Luanda procura ensaiar o sistema t�ctico para o jogo de amanh� contra a equipa do ASA
Fotografia: Jornal dos Desportos
Petro de Luanda e Atlético Sport Aviação movimentam hoje, a partir das 16h00, no anexo II da Cidadela Desportiva, a partida da quinta jornada da segunda volta do campeonato nacional sénior masculina de basquetebol. Os campeões nacionais estão no encalço do topo da tabela geral e apresentam-se como favoritos à vitória diante de uma agremiação rejuvenescida.

Dotada de melhores executantes, a equipa do técnico Lazaré Adingonó vai entrar no jogo com rótulo de campeão. O respeito, que se lhe merece, vai exigir adoptar uma estratégia que passa também na cautela defensiva. Expelir o petróleo na "pista" pode ser a boa estratégia para colocar em terra todas as aeronaves. A contenção de ânimos é o elemento psicológico mais importante para evitar surpresas no final do jogo.

Na outra tabela da quadra vai estar um conjunto de "aviadores", ávidos de manter a aeronave no ar. O "comandante" Carlos Dinis, depois de experimentar quatro voos, está ciente das dificuldades que pode encontrar na "pista" e o arranque derrapante pode evitar o deslize na pista.

À entrada da quinta jornada, o Petro de Luanda e Atlético Sport Aviação procuram constar do top-3 do BIC Basket'2016. O duelo promete bons momentos de basquetebol. Os campeões nacionais ocupam o quarto lugar e os aviadores são o sétimo da tabela geral de classificação. Na primeira volta, os tricolores derrotaram os aviadores.

O embate de hoje serve também para ajustar os sistemas tácticos para a partida de amanhã. Petro de Luanda vai receber o Recreativo de Libolo na principal partida da sétima jornada do BIC Basket'2016 na Cidadela Desportiva. Os campeões nacionais têm a missão difícil de contornar o segundo classificado da tabela geral. Depois da derrota na primeira volta,  os petrolíferos vão procurar redimir-se. A missão é difícil.

A equipa do Cuanza Sul caminha para cimentar o segundo lugar da classificação, tendo em vista a segunda fase da competição, em que o líder entra com um ponto de bonificação. Longe do espectáculo de outros tempos, o Recreativo de Libolo ainda apresenta um jogo colectivo agradável, que pode ofuscar a intenção do Petro de Luanda.

Também com olhos no segundo lugar, a equipa do Eixo-viário entra na partida para lograr a vitória. A acontecer, a "tomada de assalto" vai ser uma questão de horas, tendo em conta os dois jogos de atraso. O primeiro está remarcado para 5 de Março, no anexo II, contra o Sporting de Benguela, válido para a primeira jornada, e o segundo, para 18 de Março, no mesmo pavilhão, contra a Marinha de Guerra, válido para a oitava jornada.

Noutras partidas da quinta jornada,  o Vila Clotilde vai receber, às 16h00, no pavilhão 28 de Fevereiro, o 1º de Agosto, líder invicto da competição com 28 pontos.

A Marinha de Guerra, liderado tecnicamente por Paulo Macedo, está na terceira posição com mérito próprio. Hoje, às 16h00, no pavilhão Victorino Cunha, os marinheiros vão jogar com Recreativo de Libolo, o segundo da tabela. O Interclube joga em casa, no pavilhão 28 de Fevereiro, com Lusíada, último da classificação, às 18h30.

Na última partida do dia, o Progresso Sambizanga, oitavo, recebe no pavilhão anexo II da Cidadela Desportiva, o Sporting Clube de Benguela, sexto.