Africa Basquetebol

02 Setembro 2014

ANGOLA : Angola aspira aos oitavos



Mexicanos querem contrariar o favoritismo dos angolanos que podem contar com apoio de centena e meia de compatriotas
Fotografia: AFP
A Selecção Nacional defronta hoje a partir das 12h30 no Pavilhão Arena de Gran Canária, a congénere do México, com os olhos postos nos oitavos-de-final da 17ª edição do Campeonato do Mundo, em partida a contar para a terceira jornada da fase preliminar do grupo D da referida competição.A aproveitar a pausa que ontem se registou para a formação angolana, o seleccionador nacional  traçou  as estratégias a serem utilizadas pelo combinado nacional no desafio desta tarde  diante dos mexicanos, que à entrada da jornada número três somam já duas derrotas consecutivas.

Moralizados com a exibição realizada na partida do último domingo, frente à forte selecção da Lituânia, com quem perdeu por 62-75, a selecção angolana vai procurar alcançar esta tarde  o passe de acesso aos oitavos-de-final, onde já se encontram as seleções da Lituânia, medalha de bronze em 2010, no mundial da Turquia e da Eslovénia.No seio dos jogadores e da equipa técnica, o discurso está totalmente virado para a conquista da segunda vitória  na competição e consequentemente assegurar a passagem para a outra fase.

O seleccionador nacional, Paulo Macedo afirmou à comunicação social que já identificou os pontos fortes e fracos do adversário de mais logo, pelo que vai explorar as fragilidades do seu opositor a fim de garantir a passagem para a fase seguinte da competição. O técnico chamou mais uma vez a atenção sobre a necessidade de se melhorar os aspectos defensivos, sem descurar o ataque, porque em  seu entender, só desta forma é que a Selecção Nacional vai poder superar os adversários na competição.“Felizmente o grupo defensivamente frente à Lituânia  conseguiu cumprir com os princípios básicos defensivos de uma maneira geral. E se melhorarmos ainda mais, acredito que podemos surpreender os próximos adversários”, alertou o seleccionador nacional.

Entretanto, o extremo base Olímpio Cipriano constituiu a única preocupação. O atleta jogou limitado no domingo, em virtude de ter sofrido uma pancada no joelho esquerdo, na partida inaugural do Mundial frente à Coreia do Sul.Ontem, o extremo base do Recreativo do Libolo e da Selecção Nacional fez parte da única sessão de treino do dia, que serviu para traçar os diagramas defensivos e ofensivos por forma a suplantar os mexicanos que tencionam arrancar a sua primeira vitória. Ainda assim, Olímpio Cipriano constitui uma das opções do técnico Pauo Macedo para o embate desta tarde.Apesar de reconhecer o potencial do “cinco” nacional, o técnico espanhol ao serviço dos astecas, designação oficial da selecção do México, Sergio Valdeolmillos, também almeja atingir os oitavos-de-final da prova.
“Estamos numa situação extremamente delicada. Já consentimos duas derrotas e na partida frente a  forte selecção de Angola vamos dar o nosso melhor porque só a vitória nos interessa”, admitiu o técnico espanhol.Ainda hoje, para o Grupo D, a já qualificada Lituânia, líder do grupo, com quatro pontos, recebe no Pavilhão Arena de Gran Canária, a partir das 16h30, a selecção da Austrália, ao passo que no fecho da ronda três a também qualificada Eslovénia, com quatro pontos, defronta às 19h00 a Coreia do Sul, conjunto que soma duas derrotas consecutivas na competição.

CRENÇA
Jogadores assumem luta pela qualificação

O rigor defensivo e a determinação nas acções ofensivas demonstradas na partida frente à selecção da Lituânia, no último domingo, em partida referente à segunda jornada do grupo D da fase preliminar da 17ª edição do Campeonato do Mundo de basquetebol em seniores, deve ser doravante a matriz do combinado nacional que busca a qualificação aos oitavos-de-final da referida competição.A revelação foi feita por Joaquim Gomes “Kikas” e Eduardo Mingas, capitão e sub-capital dos Campeões Africanos, logo após o desaire frente a Lituânia
 Kikas que a par de Eduardo Mingas disputam o seu quarto Campeonato do Mundo, depois da estreia em 2002, em Indianápolis, Estados Unidos da América, afirmou que a postura deve ser mantida e se possível melhorá-la para os embates que se avizinham.“Penso que devemos manter e se possível melhorar a postura que tivemos frente à selecção da Lituânia, onde lutamos do principio até ao fim, apesar de termos enfrentado uma das candidatas ao título mundial. Creio que tudo podemos fazer para que essa determinação se mantenha até ao fim da competição”, disse.
O capitão do “cinco” nacional revelou que o grupo aproveitou a folga da tarde de ontem para rever o que esteve menos bem no desafio do último domingo, diante da Lituânia.“Como sabe ontem foi o nosso dia de folga apesar de termos trabalhado no período da manhã. A tarde aproveitamos para analisarmos o que esteve menos bem na partida frente à Lituânia. Hoje, frente ao México vamos procurar dar o nosso melhor a fim de garantirmos já a nossa qualificação para os oitavos-de-final”, prognosticou o internacional angolano que  estreou-se  na prova apenas no domingo.
Eduardo Mingas uma das unidades que se tem destacado, fundamentalmente, na luta debaixo das tabelas, assumiu de peito aberto a luta pela vitória, logo mais, frente a selecção do México que ostenta bons executantes ao nível dos lançamentos de longa distância.“Nós jogadores gostávamos  de vencer todas as partidas, mas  como devem compreender existem selecções que estão muito acima de nós. Ainda assim, temos dado boa resposta e a prova disso foi o jogo que fizemos frente à forte selecção da Lituânia que em 2010 conquistou a medalha de bronze. Frente ao México vamos lutar porque queremos vencer a partida e assegurar o apuramento à fase seguinte da competição”.
M.C

NÚMEROS
Cipriano lidera equipa nacional

À entrada da terceira jornada da fase preliminar da 17ª edição do Campeonato do Mundo de basquetebol em seniores, que decorre em quatro cidades espanholas (Sevilha, Granada, Bilbao e Gran Canária), o internacional angolano Olímpio Cipriano lidera a lista dos melhores marcadores do “cinco” nacional  com 29 pontos marcados ao cabo de dois jogos.Em duas partidas, o extremo base do Recreativo do Libolo e da Selecção Nacional foi utilizado durante 58 minutos e 65 segundos, é por isso o terceiro jogador com mais minutos em campo , antecedido do poste Eduardo Mingas conhecido nas lides da “bola ao cesto” como “cavalo de batalha”, com 67 minutos e 23 segundos, para além do base Armando Costa que já consumiu 59 minutos e 55 segundos nas duas partidas que disputou até aqui.

Eduardo Mingas é também o segundo melhor marcador dos Campeões Africanos, com 28 pontos, seguido de Reggie Moore, Yanick Moreira e Milton Barros, com 21, 18 e 16 pontos, respectivamente. Armando Costa, responsável pela condução das acções ofensivas do “cinco”  marcou 11 pontos.Moore consumiu já 42 minutos e 59 segundos em duas partidas, contra 28 m e 05s de Yanick Moreia, atleta que actua na Universidade Metodista dos Estados Unidos da América. Milton Barros está com 34m e 37s.
Hermenegildo Santos, campeão africano em 2013, ainda não jogou na presente edição mundial. Valdelício Joaquim ainda não explodiu e em duas partidas anotou apenas oito pontos, em 29m e 59s.Islando Manuel “Papa Ngulo”, foi utilizado durante 5m e 24s e não marcou qualquer ponto. Edson Ndoniema e Robertos Fortes marcaram dois e cinco pontos respectivamente, em 13m e 57s e 36m 32s.O capitão Joaquim Gomes “Kikas”, com 20 minutos e 28 segundos consumidos em apenas uma partida, anotou quatro pontos .           
M.C

Senegal assegura oitavos-de-final
O Senegal é o  terceiro classificado da última edição do Campeonato Africano das Nações, prova disputada na Costa do Marfim, foi a primeira selecção do continente africano a garantir a passagem para os oitavos-de-final da 17ª edição do Campeonato Africano das Nações, ao derrotar ontem, no Pavilhão Arena de Sevilha, a similar da Croácia, por 75-77, em partida referente à terceira jornada da fase preliminar do grupo B.
Os senegaleses que na ronda anterior haviam suplantado a selecção do Porto Rico, por 82-72, confirmaram ontem a passagem para a fase seguinte da competição, mercê da vitória sobre a Croácia, esta que foi a primeira a carimbar o passaporte para os oitavos-de-final. O embaixador do contenete africano perdeu na primeira jornada do grupo B frente à Grécia, por 64-87. Hoje, o grupo B folga reata amanhã  com a disputa da quarta e penúltima jornada da fase preliminar, na qual o Senegal vai ter pela frente a Argentina.
Melo Clemente- Las Palmas
BREVE
Sporting supera Benfica do Cunje
O campeonato provincial unificado sénior e júnior de basquetebol em masculino do Bié arrancou domingo com a vitória da equipa A do Sporting  no confronto que o opôs ao Benfica do Cunje, por 85-51. O duelo disputado no Pavilhão do Sporting do Bié, no Cuito, foi testemunhado por uma mole considerável de adeptos. Depois de passear toda a sua classe no torneio de abertura de basquetebol, cujas cortinas fecharam a 23 de Agosto, a formação A do Sporting demonstrou claramente, no duelo diante dos encarnados do Cunje que é um sério candidato ao título da prova.

Por essa razão, não constitui qualquer surpresa a vantagem no marcador nos quatro períodos de jogo. Ao intervalo a turma leonina já vencia por 37-21, depois de no primeiro quarto ter obtido uma vantagem de 20-12. Apesar do favoritismo que carregava neste duelo, que abriu as hostilidades da edição de 2014 do “Provincial” de basquetebol do Bié, a equipa leonina teve de carregar no acelerador ante o Benfica do Cunje  que procurou a todo custo estorvar as suas acções.

OUTROS JOGOS
Independentemente do Sporting do Bié A e do Benfica do Cunje terem já aberto a prova, vão evoluir ainda nesse certame as equipas sénior e de juniores do Jasck, Benfica do Andulo, Sporting de Catabola, Escola Superior Pedagógica, Núcleo Torres Gémeas, Desportivo do Cunhinga e bem assim como a formação B do Sporting.
Na reunião técnica realizada na sexta-feira 29 de Agosto, confirmaram ainda, para esta primeira jornada os jogos Benfica do Andulo – Sporting de Catabola, Sporting do Bié B – Jasck em juniores, Jasck em seniores – Desportivo do Cunhinga e Núcleo Torres Gémeas – Escola Superior e Pedagógica do Bié. Os jogos vão realizar-se todos no próximo sábado.
 SÉRGIO V. DIAS- CUITO

01 Setembro 2014

ANGOLA : Campeões retemperam energia



No período da tarde de hoje o seleccionador nacional pode fornecer algumas horas de repouso ao grupo para posteriormente observar o vídeo da selecção azteca designação oficial do México
Fotografia: José Cola
A Selecção Nacional de basquetebol realiza hoje, no Pavilhão Arena de Gran Canária, a sessão derradeira de treino, a partir das 9h30 minutos, visando o desafio de amanhã, frente à similar do México, partida marcada para as 12h30, a contar para a terceira jornada do grupo D da fase preliminar da 17ª edição do Campeonato do Mundo.
Hoje, o grupo D, com sede na cidade de Las Palmas, regista o seu primeiro dia de folga, pausa que o seleccionador nacional vai aproveitar para retemperar as energias dos seus pupilos que ontem consentiram o primeiro desaire na competição, frente à forte selecção da Lituânia, medalha de bronze da última edição do Campeonato do Mundo, realizado na Turquia, em 2010.
As fragilidades defensivas continuam a preocupar o técnico Paulo Macedo, daí que a sessão de treino desta manhã está virada fundamentalmente para a correcção dos diagramas defensivos, sem colocar de parte as acções ofensivas.
Outro aspecto que continua a preocupar o antigo internacional angolano, hoje nas vestes de seleccionador nacional, tem a ver com as transições rápidas defesa/ataque, arma que no entender do técnico pode ser útil contra adversários mais poderosos.
Sem qualquer caso clínico, Paulo Macedo vai ensaiar esta manhã as estratégias para suplantar a selecção do México, que diga-se, assustou na primeira jornada a Lituânia, no encerramento da primeira jornada do grupo D.
Para atingir os oitavos-de-final do Campeonato, que disputa a fase preliminar em quatro cidades espanholas, nomeadamente, Granada, A, Sevilha, grupo B, Bilbao, C, e Gran Canária, D, os Campeões Africanos, que assinalam a sua sétima presença numa fase final do mundial, precisam de mais um triunfo para assegurar o “visto” para a outra fase.
Para os oitavos-de-final transitam as quatro primeiras classificadas de cada grupo que no sistema cruzado (A com B e C com D) vão discutir a passagem para os quartos-de-final.
No período da tarde, o seleccionador nacional pode fornecer algumas horas de repouso ao grupo, para posteriormente observar o vídeo da selecção azteca, designação oficial do México. Tal com a Selecção Nacional, os demais adversários também vão aproveitar a pausa de hoje para alinhavarem os próximos desafios da fase preliminar.Após o treino do combinado nacional, México, Austrália, Lituânia e Coreia do Sul vão igualmente utilizar o Pavilhão Arena de Gran Canária para montar as estratégias para os confrontos de amanhã.

IMPRENSA
Jornais espanhóis destacam vitória de Angola

A vitória da Selecção Nacional na jornada inaugural do grupo D, com palco na cidade de Las Palmas, sobre a Coreia do Sul, por 80-69, mereceu destaque nos jornais espanhóis.
Depois da primeira jornada, o generalista “La Provincia”, jornal editado em Las Palmas, com 88 páginas, dedicou exclusivamente a página 61 para falar da vitória dos Campeões Africanos da “bola ao cesto”.
O periódico realça a frescura física do combinado nacional, além das qualidades técnicas dos jogadores angolanos. Com o título “Angola faz valer a sua força física ante uma Coreia impotente”, o articulista faz rasgados elogios às exibições de Eduardo Mingas, Yanick Moreira, Olímpio Cipriano, Armando Costa e Valdelício Joaquim. “O combinado africano mostrou-se superior sempre que acelerava”, é desta forma que termina a crónica do jornalista José Mendoza.
O jornal “Marca”, outro prestigiado jornal de Espanha, que se dedica inteiramente ao fenómeno desportivo, também fez referência à vitória do cinco nacional.
Na edição de ontem, o jornal “Marca” dedicou seis páginas para se debruçar sobre o Campeonato do Mundo de basquetebol que encerra a 14 do mês em curso.   

31 Agosto 2014

MOÇAMBIQUE : Época de básquete arranca a 15 de Setembro

A NOVA época de basquetebol em todos os escalões seniores, juniores, juvenis e iniciados arranca a 15 de Setembro próximo.
O Torneio de Abertura será a prova que marcará o início das competições da bola-ao-cesto na capital do país, numa em que fase em que a Selecção Nacional femininase se apronta para participar no Campeonato do Mundo, motivo pelo qual a prova, em seniores femininos, será disputada sem as melhores jogadoras.
Em seniores masculinos, Maxaquene, Ferroviário, Desportivo são os crónicos candidatos a vencer a prova, o mesmo acontecendo em femininos. Além destes três emblemas, A Politécnica, em femininos, partirá como candidato a sagrar-se vencedor do primeiro torneio oficial da temporada-2014.
Depois desta prova, realiza-se a Taça Lázaro em homenagem ao ex-secretário geral da Associação de Basquetebol da Cidade de Maputo (ABCM), Taça Maputo e Campeonato da Cidade.

MOÇAMBIQUE : BASKET SHOW: Jogam-se meias-finais

JOGAM esta esta tarde, no Pavilhão do Maxaquene, as meias-finais do Basket Show, um torneio que envolve a rapaziada das escolas secundárias de Maputo cidade e província.
A expectativa é tão maior que se espera que jovens e adolescentes encham o pavilhão “tricolor” para acompanhar o evoluir da rapaziada. Como tem sido apanágio, as claques estarão divididas pela plateia e a puxar pelas suas equipas ou seus representantes na competição.
A começar, São Joaquim terá pela frente a turma da Polana, a partir das 14:15 h. De seguida, entrarão em palco as formações da Eduardo Mondlane e Nelson Mandela.
Entretanto, a anteceder as meias-finais masculinas, às 12:45 horas, Matola e Mahlazine vão disputar a vaga para a final, em femininos, isto no decurso da terceira e última jornada da série B. Josina Machel é a primeira finalista, tendo para o efeito vencido os dois jogos da série A. Venceu Noroeste II, por 47-9, e Nelson Mandela, por 53-14.
Entretanto, para animar ainda a festa haverá o habitual concurso de lançamentos livres. Os atletas Agostinho Mondlane, da Francisco Manyanga, Dário Manhanga, do Colégio Kitabu, e Dikson Manhiça, da Polana, são os seleccionados para o efeito.

ANGOLA : Bom começo



Campeões Africanos contaram com apoio de muitas dezenas de adeptos
Fotografia: Jornal dos Desportos
A determinação demonstrada pelos sul-coreanos nos minutos iniciais da partida não foi suficiente para derrubar os angolanos que, ontem, conseguiram alcançar a primeira vitória no arranque da jornada inaugural da fase preliminar do Campeonato do Mundo de basquetebol, grupo D, com sede em Las Palmas, mercê do triunfo por 80-69.

O estreante Yanick Moreira, atleta que milita nos Estados Unidos, e o veterano Olímpio Cipriano estiveram em grande ao marcarem 16 pontos cada.
A selecção da Coreia do Sul entrou melhor no desafio, ao contrário dos campeões africanos, que mostraram algum nervosismo, fundamentalmente nos primeiros três minutos do quarto inicial.

A perder por 0-5, os comandados de Paulo Macedo só conseguiram reagir à entrada do minuto quatro, com o estreante Valdelício Joaquim a marcar os dois primeiros pontos para o combinado nacional.
Fruto da maior pressão defensiva exercida pela Selecção Nacional, os sul-coreanos deixaram de produzir e o inevitável Olímpio Cipriano tratou de igualar o placar a cinco pontos, quando estavam decorridos seis minutos e 44 segundos.

A partir daí, a Selecção Nacional passou a dominar o jogo, quer interior, quer exterior, tendo fixado o resultado ao cabo do primeiro período em 16-6. No segundo quarto, os campeões africanos entraram com a mesma atitude com que terminaram o período inicial, ao contrário do seu opositor que se mostrava bastante preso nos movimentos.
Quando restavam 42 segundos para o fim do segundo período, os angolanos venciam já por uma margem confortável de 20 pontos (36-16). Os sul-coreanos conseguiram reduzir a desvantagem ao soar o apito final do período (36-18).
Quando tudo indicava que o cinco nacional ia manter o domínio das operações no terceiro período, foram os sul-coreanos que estiveram em grande, valendo-se da sua eficiência nos lançamentos a longa distância. Nesta fase, a Coreia do Sul marcou 30 pontos, contra 16 do combinado nacional, o que perfez 52-48, à entrada do quarto derradeiro.
No último período, os angolanos conseguiram conter as acções ofensivas dos sul- coreanos, mas as facilidades defensivas concedidas pelo cinco nacional podiam ter criados dissabores à Selecção Nacional.
O estreante Yanick Moreira, poste de dois metros e 11 centímetros, a par do experimentado Olímpio Cipriano, extremo base, esteve em grande destaque ao anotar 16 pontos, tal como o seu colega. Milton Barros e Reggie Moore marcaram cada dez pontos, contra 14 do “cavalo de batalha”, Eduardo Mingas.
Yanick foi ainda o rei dos ressaltos, com dez, sendo seis ofensivos e quatro defensivos, seguido do outro novato em Campeonatos do Mundo, Reggie Moore, com seis, todos eles defensivos.
Do lado da Coreia do Sul, Sungmin Kim esteve em grande, ao contribuir com 15 pontos.
Joaquim Gomes “Kikas” e Hermenegildo Santos foram os únicos não utilizados pelo seleccionador nacional. Dos seis estreantes, cinco foram utilizados, designadamente, Islando Manuel, Edson Ndoniema, Reggie Moore, Roberto Fortes e Yanic Moreira.
Deste grupo, apenas Edson Ndoniema, Valdelício Joaquim e Reggie Moore marcaram, com dois, seis e dez pontos, respectivamente.
Ainda ontem, a Ucrânia bateu a República Dominicana, por 72-62, para a primeira jornada do Grupo C, ao passo que a Croácia vergou as Filipinas, para o grupo B, por 81-78.

DECLARAÇÕES

“Foi uma boa vitória”
"No final do desafio, no qual a Selecção Nacional derrotou a Coreia do Sul, em partida referente à primeira jornada do grupo D, Paulo Macedo era um homem visivelmente satisfeito pelo resultado final.
“Penso que foi um bom jogo, conseguimos a nossa primeira vitória que ao fim e ao cabo era o nosso grande desafio. Globalmente, houve etapas onde não estivemos muito bem, fundamentalmente no terceiro quarto, mas isso também porque houve um certo relaxamento da nossa parte que podia custar-nos caro”, revelou o seleccionador nacional.
Frente à Lituânia hoje, a partir das 19h00, Paulo Macedo afirmou que tudo vão fazer no sentido de realizar uma boa partida diante de uma das candidatas ao título mundial.

Jaehak Yoo
Coreia do S
ul
“Angola foi superior”
"O técnico principal da Coreia do Sul, Jaehak Yoo, mostrou o seu conformismo no final da partida, na qual o seu seleccionado perdeu por 69-80 frente aos Campeões Africanos.
“Nós começámos bem mas infelizmente claudicámos nos dois primeiros períodos. No terceiro conseguimos incomodar o nosso adversário, mas a maturidade competitiva de alguns jogadores angolanos quebrou a nossa força de vontade”, reconheceu o técnico.

FICHA TÉCNICA
Pavilhão Arena de Gran Canária
Capacidade: Dez mil espectadores
Arbitragem: Elias Koromilas (Grécia), Sreten Radovic (Croácia) e Luis Roberto (Porto Rico)
Comissário: Nobuo Hashimoto (Japão)

ANGOLA:
Olímpio Cipriano (16), Armando Costa (6), Roberto Fortes (0), Edson Ndoniema (2), Hermenegildo Santos (0), Valdelício Joaquim (6), Joaquim Gomes “Kikas” (0), Reggie Moore (10), Yanic Moreira (16), Islando Manuel (0), Milton Barros (10), Eduardo Mingas (14)
Treinador: Paulo Macedo

Coreia do Sul: Taejong Moon (8), Hee Park (0), Donggeun Yang (11), Taesul Kim (0), Jonghung Lee (4), Sunhyung Kim (15), Sungmin Cho (10), Heejong Yang (3), Sung Kim (6), Sekeun Oh (4), Jongkyu Kim (8), Ilyoung Heo (0).
Treinador: Jaehak Yoo

Marcha do marcador: 16-6, 36-18, 52-48, 80-69

O MEU MUNDIAL
Saber sofrer

Sofrer, saber sofrer e ganhar. A vitória ontem de Angola sobre a Coreia do Sul pela diferença de 11 pontos ganhou ainda mais valor. E mais importância por termos confirmado que, apesar de alguns furos em termos de exibição, somámos a primeira vitória, afinal o mais importante na estreia.
Em provas do género, vencer o primeiro jogo é sempre importante. Confere ao grupo de trabalho mais confiança, principalmente quando os próximos jogos são diante de equipas com outro cunho competitivo. O jogo de ontem dos sul-coreanos demonstrou que soubemos sofrer, que soubemos jogar e sofrer. E isso é muito importante.
Jogámos num ritmo fortíssimo, principalmente nos dois primeiros quartos. Os 18 pontos de diferença no final dos primeiros 20 minutos (36-18) retratam alguma dose de superioridade. Jogámos a bola, bem e rápido, sem desesperar. Nos dois últimos períodos, nos quais permitimos maior ousadia à Coreia, conseguimos ainda assim manter a nossa postura sem desfalecer.
Um nervosismo de primeiro jogo é normal num campeonato do mundo e também a Coreia do Sul superou todas as expectativas, principalmente nos momentos de menos acerto do combinado nacional. Não tivemos uma Angola suficientemente entrosada para amedrontar um adversário que tudo fez para contrariar o favoritismo dos angolanos.
Jogos assim existem, nos quais acontece exactamente aquilo que tem de acontecer. Ontem, os protagonistas da tarde fizeram tudo o que se esperava. O filme durou o tempo que estava previsto e acabou por vencer a melhor equipa em campo. Durante os 40 minutos de jogo nem por um único momento se duvidou da superioridade de Angola.
Em relação à nossa selecção resta apenas dizer que vontade não chega e o acreditar tem de ser maior. Valeu a exibição de Cipriano, o melhor marcador do jogo, com 16 pontos, nos 27 minutos que esteve em campo. O jogador do Recreativo do Libolo mostrou que o amor que tem à camisola simboliza um passado glorioso da geração de ouro, mas que tem vontade de perpetuar ensinamentos e glórias para estes nossos tantos jovens que só precisam de dizer a eles próprios que já chega de sermos os quase lá para passarmos a ser os que lá chegaram.
Hoje, diante da Lituânia é tudo diferente. O seu valor não se equipara ao do adversário de ontem. Podemos descobrir novos motivos para amar ainda mais esta selecção. É também um jogo importante pela confiança que alcançámos com a primeira vitória e pela convicção de que estamos aqui para competir e não para ver a banda passar. Isso é muito importante, no meu humilde ponto de vista, para a confiança. Temos de entrar em campo convencidos de que podemos fazer melhor do que ontem.
Vamos lá rapazes! Queremos mais, mais, muito mais. 
Policarpo da Rosa, Gran Canária

29 Agosto 2014

ANGOLA : Angola procura boa prestação



Selecção Nacional vai procurar em Espanha melhorar o nono lugar alcançado no Mundial disputado em 2006 no Japão
Fotografia: José Cola
Para a sétima presença em Campeonatos do Mundo que inicia amanhã em Espanha, a selecção angolana campeã africana deve procurar inspiração na prestação de 2006 no Japão, onde terminou em nono lugar, para uma prestação digna sob o  risco de ser ultrapassada por outros representantes africanos.

Na Turquia2010 os angolanos ficaram em 15º lugar, mas à frente dos outros africanos, designadamente a Costa do Marfim (21º) e da Tunísia (24º).

Em Espanha, de 30 de Agosto a 14 de Setembro a África vai estar representada pelo Egipto e Senegal, além dos campeões continentais.
Em 1986  a selecção nacional de basquetebol participou pela primeira vez num campeonato do mundo de basquetebol, em Espanha e terminou na 20ª posição, numa prova que contou com 24 selecções. Na ocasião Victorino Cunha era o seleccionador.
Na primeira presença num conjunto de onde constavam nomes como Gustavo da Conceição, Jean Jacques da Conceição, Manuel de Sousa, Paulo Macedo, entre outros, Angola encontrou muitas dificuldades para  defrontar adversários europeus e sul-americanos muito tácticos, diferentes dos africanos com quem estava habituada a jogar.
Perdeu o primeiro jogo diante da então União Soviética, por 89-51 e na segunda ronda com o Israel (75-95), mas redimiu-se ao vencer a Austrália (74-69) na terceira jornada, naquela que foi a primeira vitória angolana em campeonatos do mundo.
Seguiram-se mais duas derrotas frente a Cuba e Uruguai por 53-81 e 81-83, respectivamente,  o último resultado foi encontrado após prolongamento, uma vez que no tempo regulamentar empataram (73-73).
Com quatro derrotas e uma vitória na primeira presença, o “cinco” nacional ficou na 20ª posição, na classificação final, à frente da Nova Zelândia, Coreia do Sul, Costa do Marfim e Malásia.Quatro anos mais tarde na Argentina 1990, Angola surge na maior montra do basquetebol mundial com caras novas como Ivo Alfredo, Ângelo Victoriano, Nelson Sardinha, Hérlander Coimbra e Victor de Carvalho e já não contou com muitos dos presentes na primeira participação como Gustavo da Conceição, Zezé Assis, Adriano Baião, Francisco Cungulo e Josué Campos.
Com a intenção de melhorar o 20º lugar alcançado na edição anterior, a selecção angolana na altura campeã africana, entrou para a prova da Argentina mais confiante e na primeira jornada deixou bons indicadores, apesar da derrota frente a Porto Rico (75-78).Mesmo com bons indicadores na ronda inaugural, numa série de quatro selecções, Angola voltou a perder nas duas jornadas seguintes diante da Jugoslávia (79-92) e Venezuela (77-83), terminou a primeira fase na última posição do grupo A e foi obrigada a disputar as classificativas.
Nesta fase, a selecção nacional começou por perder com a Itália e Canadá (78-86, 80-82) e venceu a Coreia do Sul (104-93).
Já na disputa do 13º ao 16º, os angolanos derrotaram o Egipto (83-70) e a China (112-96) e melhoraram a classificação final, ficaram com o 13º posto, numa competição que contou com 16 selecções, menos oito que na edição anterior.
No Canadá 1994  na sua terceira presença Angola baixou três lugares,  terminou a prova no 16º posto, última posição.
As derrotas diante da Alemanha (76-86) e Cuba (71-75) foram fatais para colocar os angolanos a disputar as classificativas do 13º ao 16º e nem mesmo a vitória frente ao Brasil (79-78) impediu que isto acontecesse. Nesta fase voltou a perder com a Coreia do Sul e Cuba por 71-75, 67-75, respectivamente, e ficou na 16ª posição, três lugares abaixo da participação anterior.
Depois do fracasso no Campeonato Africano das Nações no Senegal (Afrobasket Dakar1997), em que ficou na terceira posição, o “cinco” nacional falhou a  presença no Mundial da Grécia em 1998, uma vez que apenas os dois finalistas garantiam o apuramento para o Campeonato do Mundo.
No  regresso ao evento (EUA 2002) que junta as melhores selecções de basquetebol do mundo, Angola orientada pelo luso-guineense Mário Palma terminou a primeira fase no terceiro lugar do grupo A e garantiu presença na fase seguinte, depois de vitória sobre o Canadá (84-74) e derrotas frente à Jugoslávia (63-113) e Espanha (55-88).
Na segunda fase, conseguiu apenas equilibrar os jogos com o Brasil, Turquia e Porto Rico, mas não conseguiu evitar as derrotas por 83-86, 66-86, e 87-89 respectivamente, foi obrigada a disputar as classificativas do nono ao 12º posto.No primeiro encontro perdeu com a Rússia por 66-77 e discutiu com a China, que também havia perdido com a Turquia (86-94), o 11º posto a quem venceu por 96-84.        

VENCEU TRÊS JOGOS

Ginguba é o melhor técnico em mundiais

A selecção nacional de basquetebol sénior masculina vai disputar pela sétima vez o Campeonato do Mundo da modalidade, a ter lugar em Espanha de 30 de Agosto a 14 de Setembro. No histórico de técnicos, Victorino Cunha tem o maior número de presenças, mas Ginguba detém a melhor classificação.

Alberto de Carvalho “Ginguba” em 2006 no Japão alcançou a melhor classificação de sempre, terminou  na nona posição da prova vencida pela Espanha, numa edição onde os angolanos deixaram a sensação de que podiam fazer melhor.

Por outro lado, com três presenças, Victorino Cunha foi o seleccionador que mais vezes disputou campeonatos do mundo, liderou  o cinco angolano nos mundiais de Espanha 1986,   a Argentina 1990 e Canadá 1994, ficou em 20ª, 13ª e 16ª posição respectivamente. Orientaram ainda os campeões africanos em campeonatos do mundo, os técnicos portugueses Mário Palma (EUA 2002/ 11º) e Luís Magalhães (Turquia 2010/15º).

Ginguba e Victorino Cunha foram os únicos seleccionadores a vencer três jogos na mesma prova,  o primeiro obteve na primeira fase de 2006, algo inédito, ao passo que o seu colega teve igual registo em 1990 entre a primeira fase e as classificativas.

No cômputo geral, Victorino Cunha é o que obteve maior número de vitórias (5) em três participações, enquanto Ginguba (3), Mário Palma (2) e Luís Magalhães (2) disputaram apenas uma prova cada.

28 Agosto 2014

ANGOLA : Macedo garante grupo com força



Seleccionador nacional acredita na passagem à fase seguinte da 17ª edição do Campeonato do Mundo
Fotografia: José Cola
Mesmo com algumas fragilidades, principalmente, na ineficácia da posse de bola, o seleccionador nacional  Paulo Macedo  garantiu que a Selecção Nacional de basquetebol em seniores masculino está preparada para disputar a partir de sábado, a fase final da  17ª edição do Campeonato do Mundo, prova a decorrer até ao dia 14 de Setembro, em Espanha.
A revelação foi feita à comunicação social na última terça-feira, no Pavilhão Multiusos do Kilamba, no encerramento da I edição do Torneio Internacional Arquitecto da Paz, competição onde o “cinco” nacional conseguiu duas vitórias.
Os Campeões Africanos venceram na jornada inaugural do torneio, o All Star da Califórnia, por 80-54 e na derradeira ronda, os pupilos de Paulo Macedo venceram a selecção dos Camarões, de Lazare Adingono, por 74-55.
O Torneio Internacional Arquitecto da Paz encerrou o ciclo de jogos de controlo do combinado nacional, que nesta altura se ambienta ao clima da cidade de Las Palmas, palco do grupo D da fase preliminar da 17ª edição do Campeonato do Mundo da “bola ao cesto”.
Apesar dos 15 amistosos que efectuou, a Selecção Nacional continua a apresentar algumas fragilidades no que a posse de bola, insuficiência que o seleccionador nacional tenciona trabalhar nos dias que antecedem à disputa do mundial.
“Penso que foram dois bons jogos que serviram para a equipa técnica fazer a última avaliação do grupo. No primeiro jogo não estivemos tão bem assim, devido a ineficácia na posse de bola. Na segunda partida o grupo apareceu com outra postura, melhoramos a nossa percentagem nos lançamentos à longa distância, controlamos melhor a posse de bola e no sector ofensivo tivemos impecável”, reconheceu o seleccionador nacional.
Apesar de existirem algumas insuficiências, com realce para os aspectos de ordem defensiva, aliado ao excesso de perda de bola, a Selecção Nacional está preparada para competir.
“Nós até ao dia da estreia vamos procurar debelar todas estas insuficiências. Depois do período longo de preparação acredito que estamos em condições de disputar de forma tranquila a fase final do Campeonato do Mundo de Espanha”, asseverou Paulo Macedo.   
A Selecção Nacional está inserida no Grupo D, com sede em Las Palmas, Gran Canária, ao lado das selecções da Lituânia, Eslovénia, Coreia do Sul, adversário de estreia, no dia 30 a partir das 12h30, México e Austrália.
A Espanha país anfitrião do Campeonato do Mundo faz parte do Grupo A, juntamente com o Egipto, outro representante do continente africano, Irão, Sérvia, França e Brasil. As selecções da Argentina, Senegal, medalha de bronze do Afrobasket de 2013, Filipinas, Croácia, Porto Rico e Grécia estão inseridas no Grupo B, ao passo que Estados Unidos, Finlândia, Nova Zelândia, Ucrânia, República Dominicana e Turquia estão no grupo C. Os Estados Unidos são os actuais campeões do mundo.

JOGOS DE CONTROLO
Campeões terminam com saldo positivo

A Selecção Nacional de basquetebol em seniores masculino efectuou 15 jogos de controlo durante o período de estágio pré-competitivo, com vista a 17ª edição do Campeonato do Mundo de Espanha, prova a decorrer de 30 do mês em curso a 14 de Setembro, terminou com um saldo positivo de dez vitórias, contra apenas cinco desaires.
Os Campeões Africanos  vão marcar presença pela sétima vez numa fase final de um Campeonato do Mundo, depois de 1986/Espanha, 1990/Argentina, 1994/Toronto-Canadá, 2002, Indianápolis (EUA), 2006/Japão e em 2010/Turquia, em 15 partidas disputadas anotaram mil e cento e sete pontos (1107), o que representa uma média de 73, 8 pontos marcados por cada desafio, tendo sofrido mil e oitenta e nove pontos (1089), fixando uma media de 72, 6 pontos sofridos por cada embate.
A Selecção Nacional esteve muito próximo de alcançar a média de pontos sofridos que o seleccionador traçou por altura do arranque dos trabalhos de preparação. Paulo Macedo tinha estabelecido uma média de 70 pontos por cada desafio.
No Torneio Internacional de Alexandria ainda com o grupo reduzido, a Selecção Nacional derrotou as selecções da Egipto, Tunísia e Jordânia, por 72-59, 62-56 e 75-67 respectivamente. Bateu igualmente a formação do Kuwait, por 95-67, perdeu com Etthad do Egipto, por 72-73, após prolongamento, depois de um  empate a 66 pontos. Na República Federativa do Brasil, Angola consentiu duas derrotas diante das selecções do Brasil e da Argentina, por 60-98 e 77-86.
Diante da forte selecção de Espanha, o combinado nacional  perdeu por 70-79, seguiram-se  os desaires frente ao Canada e Porto Rico, por 65-89 e 64-95.
O combinado nacional venceu ainda as Filipinas, País Basco e a Universidade Loyola, por 81-71, 80-77 e 80-63.
M.C

27 Agosto 2014

ANGOLA : Macedo está preocupado com excesso de perda de bola

Técnico orienta logo à noite a primeira sessão de treinos na região de Gran Canária sede do Grupo D do mundial
Fotografia: M. Machangongo
O seleccionador nacional, Paulo Macedo mostrou-se preocupado com a falta de posse de bola da Selecção Nacional, quando restam pouco menos de 72 horas para a sua estreia, este sábado, frente a selecção da Coreia do Sul, em partida referente à primeira jornada da fase preliminar do Grupo D da 17ª edição do Campeonato Mundo de basquetebol em seniores masculino.
Paulo Macedo teceu estas considerações ao Jornal dos Desportos, por a altura da disputa da I edição do Torneio Internacional Arquitecto da Paz, prova que visou saudar o 72º aniversário de sua Excelência o Presidente da República, José Eduardo dos Santos que se assinala amanhã, dia 28 de Agosto.
Apesar do défice, o antigo internacional angolano que fez parte da Selecção Nacional que disputou  o primeiro Campeonato do Mundo da “bola ao cesto”, acredita que o combinado nacional vai superar esta debilidade nos próximos dias, a fim de efectuar uma fase preliminar sem grandes sobressaltos.
Já no capítulo físico, o antigo base do “cinco” nacional considera o grupo totalmente preparado para encarar os desafios da competição, que se disputa de 30 do mês em curso a 14 Setembro, em seis cidades espanholas, Sevilha, Bilbao, Madrid, Barcelona, Gran Canária e Granada. “Penso que de um modo geral nós estamos bem  preparados para competir na 17ª edição do Campeonato do Mundo de Espanha.
Fisicamente estamos muito bem dotados, mas apesar de estarmos próximo do desejado em relação à forma desportiva, continuou preocupado com a falta de posse de bola, ou seja, estamos a perder muitas posses de bola, por isso, temos de melhorar rapidamente este capítulo se quisermos fazer uma boa campanha no mundial”, alertou o seleccionador nacional.
Outro aspecto que continua a preocupar o seleccionador nacional prende-se com os aspectos defensivos, ao passo que no sector ofensivo as coisas correm de feição.“Não há dúvidas de que temos de melhorar ainda mais os aspectos defensivos e estas duas partidas que fizemos para a I edição do Torneio Internacional Arquitecto da Paz serviu para aprimorar  mais neste capítulo. Em termos ofensivos, creio que temos jogadores que sejam capazes de criar desequilibrios a qualquer adversário”, constatou Paulo Macedo, técnico que vai  estreiar-se  numa fase final de um Campeonato do Mundo.

GARANTIA
Seleção Nacional respira boa saúde
A Selecção Nacional de basquetebol em seniores masculino que ontem mesmo deixou o país com o destino a Espanha, palco da 17ª edição do Campeonato do Mundo da “bola ao cesto”, respira boa saúde, conforme fez saber o médico do cinco nacional, Agostinho Matamba.
Depois de na fase derradeira do estágio pré-competitivo do combinado nacional realizado em terras espanholas, o grupo ter sido assolado com vários casos clinicos que culminou inclusive com o afastamento do extremo base Carlos Morais, MVP (Jogador Mais Valioso) da última edição do Campeonato
Africano das Nações de 2013, prova disputada na Costa do Marfim, o actual quadro é considerado saudável, facto que deixa satisfeito o seleccionador nacional que vai poder contar a 100 por cento com os 12 atletas eleitos para “operação” Espanha. Já o extremo base Olímpio Cipriano que esteve igualmente sob obesrvação médica nas últimas semanas, devido à lesão no joelho esquerdo, está totalmente recuperado e pronto para dar o seu melhor.
“Gostava  antes de agradecer uma vez mais a oportunidade que o Jornal dos Desportos me concede a fim de falar da nossa selecção. Felizmente, não temos nenhum caso clínico, qualquer situação que possam observar  vai estar tão somente ligado ao cansaço fruto das muitas horas de viagem. Portanto, não existe de momento nenhum atleta lesionado, como sabem o Olímpio Cirpriano era o último atleta que estava a ser recuperado e graças a Deus já está bem”, garantiu o homem que cuida da saúde da comitiva angolana.
Agostinho Matamba disse por outro lado, que o internacional angolano, Olímpio Cipriano foi submetido a uma ressonância magnética ao joelho esquerdo em Espanha. “Posso garantir que o Olímpio Cipriano está em condições de jogar a 100 por cento no Camepeonato do Mundo. A ressonência que fizemos foi acompanhada por uma psico-terapia para o próprio Olímpio porque na realidade é um joelho que ele já se queixa há algum tempo”.      
M.C

25 Agosto 2014

ANGOLA : Angolanos defrontam os Norte-Americanos

A Selecção Nacional de basquetebol em seniores masculino defronta esta noite  a partir das 19h00, no Pavilhão Multiusos do Kilamba, o Misto de Jogadores da Califórnia, em partida que marca o encerramento da primeira jornada da I edição do Torneio Internacional Arquitecto da Paz, prova que tem como objectivo  saudar o 72º aniversário do Presidente da República, José Eduardo dos Santos, a assinalar-se a 28 do mês em curso.
Na abertura do Torneio Internacional, isto é, às 17h00, no mesmo recinto, a Selecção de Esperanças defronta a similar dos Camarões, em partida referente a primeira jornada da aludida competição.
 Sete anos depois, o combinado nacional que a partir do próximo sábado começa a competir na fase final da 17ª edição do Campeonato do Mundo de Espanha, volta a jogar em solo pátio.
Sob liderança do trio Alberto de Carvalho “Ginguba”, José Carlos Guimarães e Artur Casimiro Barros, a Selecção Nacional conquistava a 25 de Agosto de 2007 o  nono título africano, ao bater  na final a congénere dos Camarões, por 86-72, desafio disputado no Pavilhão Principal da Cidadela Desportiva.
Hoje, no Pavilhão Multiusos do Kilamba que é uma  infra-estrutura construída no âmbito da realização da 41ª edição do Campeonato do Mundo de Hóquei em patins, em 2013, regista-se  o “reencontro” do público com a Selecção, que amanhã mesmo deixa o país  com destino a Espanha, palco da edição número 17 do Campeonato.
 Já com  o grupo definido, face as saídas dos postes Mutu Fonseca e Johne Pedro, por opcção técnica e Edmir Lucas, por lesão, o seleccionador nacional  Paulo Macedo  vai aproveitar a partida desta noite para fazer os últimos acertos, antes de seguir viagem para a Espanha
Moralizados com as três vitórias consecutivas alcançadas na etapa final do estágio pré-competitivo em Espanha, o seleccionador vai tentar montar uma equipa que seja capaz de vencer os norte-americanos que estão dispostos a dificultar ao máximo as acções dos Campeões Africanos.
 Esta manhã, o combinado nacional realiza a sessão derradeira do treinos, antes do desafio de logo mais, onde se esperam por grandes dificuldades a julgar pelo potencial do seu adversário.
 Armando Costa vai seguramente assumir o comando das acções ofensivas do “cinco” nacional.  O extremo base Olímpio Cipriano pode fazer igualmente parte do “cinco” inicial, com Eduardo Mingas, Valdelício Joaquim e Roberto  Fortes.
Amanhã, no encerramento da prova, a Selecção Nacional defronta os Camarões, ao passo que a selecção de Esperanças mede forças com o Misto de Jogadores da Califórnia.
A Selecção Nacional realizou até aqui 13 jogos de controlo, a saber cinco no Torneio Internacional de Alexandria, Egipto, dois no Torneio Internacional do Rio de Janeiro e seis em Espanha. Os campeões africanos conseguiram oito triunfos, contra cinco desaires.
Angola marcou 953 pontos, o que representa uma média de 73,3 por  encontro,  sofreu 80 pontos obteve  uma média de 75,3 pontos por  partida.
A Selecção Nacional está inserida no Grupo D, com sede em Las Palmas, Gran Canária, ao lado das selecções da Lituânia, Eslovénia, Coreia do Sul, adversário de estreia, no dia 30, a partir das 12h30, México e Austrália.
A Espanha país anfitrião do Campeonato do Mundo faz parte do Grupo A, juntamente com o Egipto, outro representante do continente africano, Irão, Sérvia, França e Brasil. As selecções da Argentina, Senegal, medalha de bronze do Afrobasket de 2013, Filipinas, Croácia, Porto Rico e Grécia estão inseridas no Grupo B, ao passo que Estados Unidos, Finlândia, Nova Zelândia, Ucrânia, República Dominicana e Turquia estão no grupo C. Os Estados Unidos são os actuais campeões do mundo.

MUNDIAL FEMININO
 Selecção segue viagem para Espanha

 A Selecção Nacional de basquetebol em seniores feminino  segue viagem hoje  para Lisboa, Portugal, em trânsito para França, onde vai competir num Torneio Internacional  enquadrado no âmbito da sua preparação para o Campeonato do Mundo da Turquia, prova a decorrer de 27 de Setembro a 5 de Outubro.

 A dupla técnica Aníbal Moreira e Eliza Pires leva 15 atletas das 20 inicialmente convocadas para a etapa derradeira do estágio pré-competitivo que vai culminar em Espanha.  Aspectos de ordem física sem descurar a vertente técnica e táctica dominaram as primeiras semanas de preparação das bicampeãs africanas que vão estar pela primeira vez numa fase final de um Campeonato do Mundo.
 Para além do país anfitrião, a Selecção Nacional vai defrontar no Torneio Internacional as congéneres da República Federativa do Brasil e de Moçambique, outra embaixadora do continente africano ao Campeonato do Mundo da Turquia.  A Selecção Nacional defronta a  4 de Setembro, na cidade de Almería, a similar da Sérvia. Já na cidade de Múrcia, o combinado nacional que vai marcar presença pela primeira vez na fase final de um Campeonato do Mundo, tem agendado um amistoso diante da congénere do Japão, desafio que vai permitir ao seleccionador nacional aferir o potencial das suas jogadoras.

A partida para Istambul tem lugar no dia 25 de Setembro, dois dias antes do começo do Campeonato do Mundo.
Aníbal Moreira leva as seguintes atletas: Ana Gonçalves, Fineza Eusébio, Helena Francisco, Luísa Tomás, Nacissela Maurício, Rosa Gala e Sónia Guadalupe (1º de Agosto), Ângelina Golome,  Elsa Eduardo,  Nadir Manuel, Ngindula Filipe e Rosemira Daniel (Interclube), Helena Viega (Lusíada), Artemís Afonso (Portugal) e Whitney Miguel (França).
M.C