Africa Basquetebol

03 junho 2015

ANGOLA : Petro parte em vantage


Vitória confirma a supremacia da equipa do Eixo-viário que continua em vantagem
Fotografia: Kindala Manuel


Com Roberto Fortes em dia sim (23 pontos), a formação do Atlético Petróleos de Luanda recebeu e venceu ontem, no Pavilhão Principal da Cidadela, o Recreativo do Libolo, por 100-95, na primeira partida dos play-off da final da 37ª edição do Campeonato Nacional de basquetebol em seniores masculinos (BIC Basket), à melhor de sete partidas.
Emocionante é que se pode dizer da partida, que confirmou a supremacia dos petrolíferos, que levam já na presente época desportiva seis vitórias, contra nenhuma do seu opositor. O árbitro Mbunga Pedro também queria fazer parte do espectáculo, reservado apenas para os jogadores, ao assinalar faltas inexistentes.
As duas agremiações entraram algo apáticas, com realce para o Recreativo do Libolo que em um minuto e 50 segundos do quarto inicial havia falhado sete ataques, contra três do seu opositor.
Os petrolíferos aproveitaram a apatia inicial dos campeões nacionais e conseguiram um parcial de 6-0, quando faltavam nove minutos 35 segundos para o termo do primeiro período. Emanuel Quezada, base dominicano naturalizado norte-americano, teve a primazia de fazer o primeiro lançamento à longa distância.
O internacional angolano, Olímpio Cipriano, com dois soberbos lançamentos à longa distância, num espaço de pouco menos de um minuto, tratou de restabelecer a igualdade (6-6), situação que obrigou o técnico camaronês ao serviço da equipa do Eixo-viário a solicitar um "Time Out" (desconto de tempo).
A partir do minuto quatro, as equipas passaram a proporcionar um bom espectáculo da "bola ao cesto" para o gáudio de milhares de adeptos que se fizeram presentes nos Pavilhão Principal da Cidadela Desportiva.
Com uma defesa pressionante e um ataque eficiente, onde era privilegiado o jogo interior, os petrolíferos terminaram o quarto inicial com uma vantagem de quatro pontos (27-23).
Liderados pelos experientes Olímpio Cipriano e Eduardo, a formação do Recreativo do Libolo conseguiu vencer o segundo período, com um parcial de 25-24, o que perfez 51-48, ao cabo dos primeiros 24 minutos, a favor da equipa caseira. Aliás, Cipriano e Mingas carregaram às costas o Libolo, contribuindo com 20 e 11 pontos respectivamente. O extremo base, Olímpio Cipriano, um dos eleitos do seleccionador nacional, Moncho López, para operação Tunísia, em 22 minutos tinha marcado já 20 pontos, dos quais 18 dos lançamentos à longa distância.
Apesar de perder o segundo quarto, por escasso um ponto 24-25, os petrolíferos  sempre estiveram à frente do marcador. Os libolenses tomaram o assalto do placar quando restavam 45 segundos para o intervalo maior 47-48 mas, rapidamente, os pupilos de Lazare Adingono conseguiram repor a "legalidade", fixando o placar em 51-48.
Carlos Morais, MVP (Jogador Mais Valiosos), da última edição do Campeonato Africano das Nações, prova disputada em Abidjan, capital da Costa do Marfim, em 18 minutos e 35 minutos, havia marcado apenas três pontos.
Sem grandes estrelas no seu plantel, a equipa do Eixo-viário pautava mais pelo jogo colectivo, ao contrário do seu adversário que dependia sistematicamente de Olímpio Cipriano e Eduardo Mingas.
Empurrados pela claque, os petrolíferos conseguiram a maior diferença pontual (67-57), quando restavam três minutos e 47 segundos para o termo do terceiro período. Norberto Alves foi obrigado a prescindir de uma das suas melhores unidades (Carlos Morais), que até então andou escondido na partida.
Com uma vantagem de dez pontos, os pupilos de Lazare Adingono passaram a circular mais a bola em todo a extensão da quadra, esgotando ao máximo o tempo de ataque, que culminava normalmente em ponto.Roberto Fortes, com 23 pontos, foi o cestinha da partida, ao passo que no Libolo, Olímpio Cipriano contribuiu com 21 pontos. Janson Cain foi o rei dos esmaltes, com 16 (6/10). Na presente temporada, os petrolíferos da capital venceram os libolenses, por 88-74, 96-92, 94-87, 104-70, 100-91 e 100-95.
Ainda ontem, para as classificativas do terceiro lugar, o 1º de Agosto, agora sob o comando do técnico Walter Costa, recebeu e venceu o Atlético Sport Aviação (ASA), por 84-53. Importa recordar que Petro e Libolo voltam a jogar amanhã no mesmo recinto.

FICHA TÉCNICA
Klay Thompson pode falhar final


Pavilhão: Cidadela
Comissário: António Soares de Campos

Arbitragem: Francisco Pacheco "Baganha", David Manuel e Mbunga Pedro

Petro: Pedro Bastos ( 4), Roberto Fortes (23 ), Vladimir Ricardino ( 2), Paulo Santana ( 0), Emanuel Quezada (16 ), Leonel Paulo ( 14), Domingos Bonifácio (15 ), Hermenegildo Mbunga (11 ), João Fernandes ( 0), Gerson Goncalves (0 ), Edson Rosário ( 0), Janson Cain (15 ).
Treinador: Lazare Adingono

Libolo: Olímpio Cipriano ( 21), Luis Costa ( 7), Carlos Morais (12 ), Elmer Félix (6 ), Vlademir Pontes (0 ), Braúlio Morais (  2), Ezequiel Silva (0 ), Valdelício Joaquim ( 10), Eric Coleman ( 19), Filipe Abraão (0 ), Eduardo Mingas ( 18 ), Joseney Joaquim ( 0). 
Treinador: Norberto Alves

Marcha do marcador
: 27-23, 51-48, 78-69, 100-95

CLASSIFICATIVAS
Inter confirma quinta posiçã
o
A formação do Grupo Desportivo Interclube confirmou o quinto lugar da 37ª edição do Campeonato Nacional de basquetebol em seniores masculino (BIC Basket), de acordo com o comunicado a que o Jornal dos Desportos teve acesso proveniente do órgão reitor da modalidade.
Em quatro partidas disputadas na fase de qualificação do quinto ao oitavo lugares, a turma da Polícia obteve igual número de vitórias, somou oito pontos. A formação liderada por  Alberto Babo marcou 326 pontos e sofreu 254 pontos.
Futebol Clube Vila Clotilde, com seis pontos, ficou na sexta posição, contra  cinco do Sporting de Benguela, que ocupou o sétimo lugar.
A Marinha de Guerra, equipa que ascendeu à primeira divisão o ano passado, ocupou o oitavo lugar, com quatro pontos, ao passo que a Universidade Lusíada e Associação Progresso Sambizanga ocuparam os dois últimos lugares, com quatro e três pontos respectivamente.   
M.C

4 Comments:

Enviar um comentário

<< Home