Africa Basquetebol

23 agosto 2013

ANGOLA : Angola "arrasta-se" aos oitavos-de-final


Seleçao de Basquete Senior Masculina
Foto: António Escrivão
Ainda sem o basquetebol que lhe é característico, a equipa angolana, tal como no encontro anterior, melhorou somente na segunda parte, chegando ao ponto de sair para ointervalo em desvantagem (37-38) ante um adversário que se pode considerar (inferior) de“outro campeonato”.
A confortável diferença de 18 pontos, para a qual foram preponderantes os sete triplos acertados na etapa complementar (na primeira metade só tinham três), na realidade não retrata bem o que ocorreu em campo, pois aos jogadores nacionais faltou alguns dos seus principais aspectos qualitativos.
Notou-se quase tudo que não seja aconselhável voltar a exibir na fase seguinte do campeonato, se ter em conta o objectivo de reconquistar o título, desde a apatia, desconcentração, inúmeras perdas de bolas (23), falhanços e erros, alguns deles crassos e em momentos cruciais da partida, realizada no Palácio dos Desportos de Abidjan.
As dificuldades que o grupo foi encontrando para vencer um jogo em que teve a “sorte” de contar com o apoio de uma claque de angolanos residentes (embora muito reduzidos, 12) não resultaram apenas da sua “tímida” prestação, mas também do esforço do adversário que desde o início procurou colar-se aos angolanos no placar.
Após ter aberto vantagem de 10-3, a selecção nacional bloqueou nalgum momento do encontro, permitindo a recuperação dos moçambicanos, que destemidos passaram à frente do marcador (10-11), elevaram os níveis de confiança e desde o primeiro período acreditaram ser possível complicar ao máximo a tarefa dos deca-campeões.
Os comandados de Paulo Macedo venceram o primeiro período por 17-14 e perderam o segundo por 20-24, chegando ao intervalo em desvantagem (37-38), mas liderados novamente por Carlos Morais (foi assim no 1º jogo) tiveram uma segunda parte mais conseguida que lhes permitiu evitar o cruzamento com os Camarões, Nigéria e Mali, mais
“temíveis” do que o Congo Brazzaville, provável adversário de Angola nos oitavos-de-final.
Os dois últimos quartos foram acalentadores para a selecção nacional, com os números a tornarem-se elevados nas diferentes fases de jogo (59-49), (69-51), (78-55) e (82-59), devolvendo assim a tranquilidade aos angolanos, que no sábado defrontam a República Centro Africano (RCA) para “cumprir calendário”.
O extremo angolano Carlos Morais foi o melhor cestinha da partida com 16 pontos, seguido do moçambicano Sivio Letela com 12, Olímpio Cipriano e Augusto Matos, ambos com 11, enquanto a arbitragem esteve a cargo do trio José Martin, da Espanha, Abdel Wael (Egipto) e o senegalês Babacar Gueye.

5 Comments:

Enviar um comentário

<< Home