Africa Basquetebol

04 março 2013

ANGOLA : Petro e Interclube apostam na V jornada


Petróleos de Luanda e o Interclube retomam hoje os trabalhos
Fotografia: Jornal dos Desportos
O Atlético Petróleos de Luanda e o Interclube retomam hoje os trabalhos com vista à disputa da partida de cartaz da V jornada do grupo A do Campeonato Nacional de Basquetebol sénior masculino, também conhecido por Bai Basket, a ter lugar sexta-feira, a partir das 18h00, no pavilhão do Dream Space.
Com as duas derrotas consentidas nas jornadas anteriores, a equipa do Eixo Viário está a ser muito contestada pelos seus adeptos, que até ao momento ainda não estão refeitos da derrota perante o 1º de Agosto em pleno pavilhão Dream Space, na noite de sábado. Os militares levaram os três pontos com a pesada vitória de 109-83. Perante esta aflição, o técnico Lazare Ondigono vai aproveitar os quatro dias que antecedem o encontro com a turma da Polícia Nacional para devolver a coesão com que se pautou o grupo na primeira fase, em que o Petro saiu vencedor por ter praticado um basquetebol fluido e bem balanceado, quer do ponto de vista defensivo quer ofensivo.
Lazare Ondigono, que se tem queixado da arbitragem e da falta do extremo base, Carlos Morais, tem um teste difícil frente ao Interclube, que também promete não deixar os créditos em mãos de terceiros, depois de sábado ter saído derrotado no seu reduto, por 86-83 frente ao Recreativo do Libolo.
O facto do técnico do Inter, Alberto de Carvalho “Ginguba”, considerar-se um homem comprometido com as grandes conquistas, ao garantir que o seu “objectivo é a conquista do título”, representa um aviso para disputa de pontos com os principais emblemas nacionais, tanto que a campanha dos polícias tem sido uma das melhores nos últimos anos.

Depois de vencer o 1º de Agosto na terceira jornada, os pupilos de Ginguba estão certos de que podem voltar a exibir-se em grande estilo diante do outro crónico candidato ao título e, por isso, as oficinas do 28 de Fevereiro vão registar trabalho intenso. Por seu turno, o Clube Desportivo e Recreativo do Libolo, cuja ascendência técnica se faz sentir com a recuperação dos casos clínicos, afina as baterias para receber o Atlético Sport Aviação de Carlos Dinis, ao passo que o 1º de Agosto, que lidera a tabela com quatro pontos, descansa por imperativos de calendário. No grupo B, o pavilhão do Rio Seco acolhe as partidas entre a Universidade Lusíada-Progresso Associação do Sambizanga e Cduan-Amigos de Viana.
Hélder Jeremias

MOÇAMBIQUE
Afrobasket começa a mexer

O Campeonato Africano de Basquetebol Feminino, a realizar-se entre os dias 20 e 28 de Setembro, em Maputo, faz sentir a sua máquina organizativa, com a realização de actividades relacionadas com o evento. No mês de Abril está previsto o sorteio e o lançamento de uma gigantesca campanha de divulgação, tendo como finalidade fazer com que os moçambicanos comecem a sentir e a viver esta competição continental.
Com sucesso absoluto em todas as provas africanas da bola-ao-cesto organizadas em Maputo, a Federação Moçambicana de Basquetebol (FMB), segundo o seu presidente, Francisco Mabjaia, pretende repetir esses feitos e fazer com que se volte a viver momentos inolvidáveis de basquetebol de primeira água, como aconteceu, por exemplo, nos X Jogos Africanos e nos Afrobasket passados. O campeonato é disputado por 12 selecções e, destas, dez são conhecidas, Moçambique, país anfitrião, Angola, campeã em título, Camarões, Cabo Verde, Costa do Marfim, Quénia, Mali, Nigéria, Senegal e Zimbabwe, faltando apurar duas.
Enquanto isto, os jovens técnicos Milagre Macome e José Delfino foram eleitos para dirigir a selecção nacional sénior masculina que de 20 a 30 de Agosto disputa o Campeonato Africano da modalidade, na Costa do Marfim. Macome e Delfino mereceram a confiança da FMB, mercê do seu trabalho na condução da equipa durante a fase zonal de apuramento para o Afrobasket, na qual ganhou cinco jogos. O técnico espanhol Inak Garcia, que se manifestou disponível e cujo nome era equacionado, acabou por ficar de fora, a favor dos jovens moçambicanos Macome e Delfino. Garcia, recorde-se, orientou a selecção em 2011, classificando-a em décimo lugar no Afrobasket do Madagáscar e conquistando a medalha de prata nos Jogos Africanos de Maputo.
Alexandre Zandamela

8 Comments:

Enviar um comentário

<< Home