Africa Basquetebol

26 novembro 2011

ANGOLA : FIBA-Africa quer D´Agosto na Liga dos Clubes Campeões

A Comissão Técnica da Fiba-África quer que a equipa sénior masculina de basquetebol do 1º de Agosto, hexacampeão africano, defenda o seu título na fase final da Liga dos Clubes Campeões Africanos, prova a disputar-se de 12 a 22 de Dezembro, em Marrocos, informou o vice-presidente para o basquetebol do grémio militar, José Moniz. A formação militar, agora liderada pelo luso-guineense Mário Palma, falhou a qualificação directa no zonal VI de apuramento, competição que decorreu de 14 a 21 do mês em curso, em Joanesburgo, África do Sul, ao ocupar o terceiro lugar, atrás do Petro de Luanda e Grupo Desportivo e Recreativo do Libolo do Kwanza-Sul, formações que asseguraram o visto para a fase final da Liga dos Clubes Campeões Africanos.

Deste modo, a equipa rubro e negra, que tinha virado as baterias para as competições domésticas, designadamente, o Campeonato Nacional (BAI Basket) e a Taça de Angola, para além da terceira edição da Supertaça Compal, que em 2012 é disputada em duas cidades do país (Benguela e Luanda), vai aproveitar as próximas duas semanas para aprimorar os aspectos técnicos e tácticos com vista à fase final da Liga Africana. Em declarações ao Jornal dos Desportos, José Moniz mostrou-se regozijado pelo convite formulado pelo organismo que tutela a modalidade no continente africano.
   “De facto, o convite foi formulado e, desde já, gostava de agradecer o gesto da Fiba-África que tenciona ver a nossa equipa a defender o título africano. Restam poucos dias para o arranque da competição, por isso, a equipa técnica vai tentar preparar o grupo de maneira a defender com brio o título conquistado no ano passado no Benin”, finalizou o responsável máximo para o basquetebol da equipa do Rio Seco. A direcção da Federação Angolana de Basquetebol (FAB) já foi notificada pela Fiba-África do convite formulado ao 1º de Agosto, de acordo com Tony Sofrimento, chefe do gabinete técnico e de formação do organismo que tutela a modalidade no país.
Assim, Petro de Luanda, Recreativo do Libolo do Kwanza-Sul e o 1º de Agosto são os embaixadores do país na fase final da Liga dos Clubes Campeões Africanos. Os militares lideram o ranking da Liga Africana, com seis títulos conquistados, seguem-se o Asfa do Senegal, com três, Hit Trésor da República Centro Africana, Asec Mimosas da Costa do Marfim e Gezire Sc do Egipto, todos com dois campeonatos africanos ganhos. Com um título arrebatado estão as formações do Res Starde da RCA, As Police do Senegal, Maxaquene de Maputo, Ittihad do Egipto, Jeanne do Senegal, Zamalek do Egipto, Mes de Marrocos, Al Ahly do Egipto, ABC da Costa do Marfim e Petro de Luanda (Angola).

Interclube fragilizado recebe o Vila Estoril
Desprovido das suas principais estrelas, que reclamam salários em atraso, a formação do Interclube estreia-se hoje na 34ª edição do BAI Basket, quando receber, às 18h00, no Pavilhão 28 de Fevereiro, a modesta equipa do Clube Vila Estoril, em partida referente à segunda jornada da competição. Apesar destas contrariedades, o técnico José Carlos Guimarães assumiu o favoritismo, já que tem pela frente um adversário que é de longe inferior ao conjunto da Polícia. A jogar no seu reduto, a equipa do Interclube não vai ter dificuldades em chamar a si o triunfo, ante um adversário que pelo segundo ano consecutivo disputa o BAI Basket.
Na partida de destaque, o ASA recebe às 18h00, no Pavilhão Anexo número dois, o Recreativo do Libolo do Kwanza-Sul, num prélio difícil para os dois contendores. Moralizados com o apuramento para a fase final da Liga dos Clubes Campeões Africanos, o Recreativo do Libolo do Kwanza-Sul apresenta-se como favorito à conquista da vitória. Ainda assim, os aviadores, que contam com os préstimos do internacional cabo-verdiano Rodrigues Mascarenhas, podem surpreender os libolenses.
Ontem, na abertura do BAI Basket, a formação do ASA recebeu e venceu a equipa do Vila Estoril, por expressivos 103-57. Ao contrário do previsto, a Universidade Lusíada não defrontou o Futebol Clube Vila Clotilde, em virtude de não ter criado as condições necessárias para a realização do jogo. Em face disso, os universitários podem perder por falta de comparência.

Melo Clemente