Africa Basquetebol

11 junho 2015

ANGOLA . Disputa continua renhida



Olímpio Cipriano (primeiro a contar da esquerda) e Leonel Paulo vão travar esta noite mais um duelo de gigantes para a quinta partida
Fotografia: M.Machangongo
As emoções da "bola ao cesto" regressam logo mais, quando a partir das 18h00, as formações do Atlético Petróleos de Luanda e do Recreativo do Libolo medirem forças no Pavilhão Principal da Cidadela, na quinta partida dos play-offs da final da 37ª edição do Campeonato Nacional de basquetebol em seniores masculino, a melhor de sete. As duas equipas estão igualadas a duas vitórias cada (2-2).
Depois de ter  vencer de forma apertada (90-89), na terça-feira, em reduto alheio, está relançada a luta pela coroa nacional, os petrolíferos da capital estão com o índices motivacionais em alta para o embate desta noite.
O extremo poste Leonel Paulo que nas primeiras três partidas esteve  "escondido", reapareceu na passada quinta-feira,  ajudou a equipa com 15 pontos, em 39 minutos e três segundos.
Face a classe evidenciada nas fases anteriores da competição, Leonel Paulo, um dos eleitos para a “operação” Tunísia, continua a merecer  a confiança do técnico Lazare Adingono para o "cinco" inicial.
Ontem, o técnico Lazare Adingono aproveitou para fazer trabalho de recuperação,  face ao esforço empreendido na vitória sofrida por 90-89.
Roberto Fortes, Emanuel Quezada, Hermenegildo Mbunga e Janson Cain devem fazer parte do “cinco “inicial da equipa tricolor. Aliás, este quinteto tem sido responsável pela grande campanha que a formação do Atlético Petróleos de Luanda tem realizado na presente época desportiva, fundamentalmente, na final dos play-offs da 37ª edição do BIC Basket.
Os pupilos de Lazare Adingono vão procurar esta noite desfazer-se da igualdade que se regista nesta altura (2-2).
Entretanto, ainda combalidos, em virtude de  deixar escapar o triunfo a nove segundo do fim da partida na última terça-feira, a equipa do Recreativo do Libolo parte para o embate desta noite com a lição bem estudada.
Norberto Alves, técnico principal do grémio de Calulo falou sobre a necessidade da equipa entrar determinada e sobretudo, evitar os inúmeros erros que contribuíram  para o segundo desaire na final da 37ª edição do BIC Basket.
Com a ausência do base Milton Barros, devido a lesão, a condução do jogo ofensivo dos actuais campeões nacionais tem sido assumida pelo internacional angolano, Olímpio Cipriano, sempre bem acompanhado por Carlos Morais, Eduardo Mingas, Braúlio Morais, Valdelício Joaquim e Eric Coleman. Tal como aconteceu nas quatro partidas, hoje, o equilíbrio deve uma vez mais prevalecer.

4 Comments:

Enviar um comentário

<< Home