Africa Basquetebol

20 março 2014

ANGOLA : Gustavo preocupado com a vinda de atletas africanos

                       
Antigo presidente da Federação angolana da modalidade é contra a vinda de atletas africanos
Fotografia: Jornal dos Desportos
O antigo presidente da Federação Angolana de Basquetebol (FAB), Gustavo Vaz Dias da Conceição, mostrou-se preocupado com a vinda sistemática de atletas africanos para competir nos Campeonatos Nacionais de Basquetebol de seniores, em ambas as classes.
Para o ex-presidente da FAB, a competição doméstica ganha mais com a vinda de atletas europeus e americanos, desde que tenham qualidades, do que atletas africanos, que em alguns casos, são piores do que a prata da casa.
Gustavo Vaz Dias da Conceição falava à margem da realização do Segundo Encontro Nacional do Basquetebol, acto que decorreu no último sábado, num dos anfiteatros da Escola Nacional de Administração-ENAD, em Luanda, afirmou por outro lado, que o perigo está justamente na maior parte dos atletas africanos, sem qualidades virem potenciar-se no basquetebol angolano, para posteriormente tornarem-se adversários de Angola nos Campeonatos Africanos das Nações da «bola ao cesto», vulgo Afrobasket.
«O nosso horizonte competitivo é sem dúvidas a África, quer em masculino, quer em feminino. E quando possibilitamos que atletas africanos se valorizem aqui na nossa competição estamos naturalmente a potenciar adversários que vão dificultar-nos a tarefa amanhã e por isso, ficamos contentes por um lado, mas ficamos preocupados por outro lado, daí a reflexão na relação custo benefício, se Angola sai mais a ganhar ou se os atletas de outros países é que saem mais a ganhar. Penso que esta reflexão é de extrema importância para redefinir toda a estratégia de recrutamento de atletas estrangeiros no nosso país».
Ainda de acordo com ex-internacional angolano, uma vez que o basquetebol angolano é o melhor do continente africano, a competição interna ganhava muito mais com a introdução de atletas europeus e americanos.
«Uma vez que nós durante vinte anos somos campeões africanos, tendo nós o melhor basquetebol o que é que nos interessa fazer crescer? é ir buscar potenciais atletas a outros horizontes mais fortes que o nosso, como o basquetebol americano, europeu, ou trazer aqui atletas de basquetebol piores que os nossos, dar a possibilidade de eles crescerem», indagou o antigo presidente da Federação Angolana de Basquetebol.
Gustavo Vaz Dias da Conceição foi um dos prelectores do Segundo Encontro Nacional do Basquetebol e teve como tema pressupostos à considerar como necessários na introdução de atletas e profissionais na competição interna, benefícios e constrangimentos. O ex-presidente da FAB lamentou o facto de Angola ter perdido a candidatura para acolher em 2015, os Campeonatos Africanos das Nações de seniores, em ambas as classes, em favor da Tunísia e Camarões.
«Quando perdemos há sempre falhas e se calhar agora é fácil fazer uma boa avaliação daquilo que se passou. Mas, de facto não é bom Angola perder, o país tem um conjunto de infra-estruturas e um conjunto de experiência de organização que dá o background suficiente para não perder mais, deve haver um conjunto de outros itens que concorreram para esta derrota.
Não só a nossa preparação muito rápida para este desafio, como também se calhar uma avaliação não muito correcta em relação ao potencial que os adversários pudessem apresentar. finalizou Gustavo Vaz Dias da Conceição.

BAI BASKET
Vila supera Sporting de Benguela

Contra todas às expectativas, a formação do Futebol Clube Vila Clotilde derrotou terça-feira, em Benguela, o Sporting local, por 61-70, em partida a contar para a terceira jornada do Grupo B da 36ª edição do Campeonato Nacional de basquetebol em seniores masculino.
Com este triunfo, os comandados do técnico Elvino Dias cimentaram a liderança do Grupo B, agora com seis pontos, fruto de três vitórias.
Depois de ter surpreendido a formação do Atlético Sport Aviação (ASA) na ronda anterior, o Futebol Clube Vila Clotilde venceu na terça-feira a equipa do Sporting de Benguela, por 70-61.
Elvino Dias, técnico principal do Vila, mostrou-se satisfeito com o desempenho dos seus pupilos, fundamentalmente, neste início da fase de grupos, onde em três partidas somaram igual número de vitórias. Entretanto, as emoções do BAI Basket regressam amanhã, com a disputa da quarta jornada da primeira volta da fase de grupos.
No Grupo A, a equipa do 1º de Agosto que partilha a liderança da prova com Atlético Petróleos de Luanda, ambos com cinco pontos, desloca-se ao Pavilhão 28 de Fevereiro, para defrontar a partir das 18h30 minutos, o Grupo Desportivo Interclube.
Os militares que perderam na ronda anterior são «obrigados» a vencer amanhã os polícias para se manterem no top da tabela classificativa.
Já o Recreativo do Libolo impôs a quinta derrota ao 1º de Agosto na presente época desportiva, contra uma vitória da formação rubro e negra, visita a partir das 16h00, no Pavilhão 28 de Fevereiro, o Clube Universidade Lusíada, folga por imperativo de calendário o Atlético Petróleos de Luanda.
Para o Grupo B, Progresso Associação Sambizanga e Futebol Clube Vila Clotilde centralizam as atenções da quarta jornada. O desafio está marcado para as 16h00, no Pavilhão Anexo número dois da Cidadela Desportiva. O Clube Amigos de Viana recebe a partir das 16h00,no Complexo do Dream Space, em Viana, o Sporting de Benguela. Os aviadores folgam por força de calendário.
Militares e petrolíferos lideram o Grupo A, ambos com cinco pontos, seguido do Libolo, com quatro pontos. Lusíada e Interclube ocupam as últimas posições da tabela classificativa, ambas com dois pontos. No Grupo B, a liderança pertence ao Futebol Clube Vila Clotilde, com seis pontos, seguido do Atlético Sport Aviação (ASA), com cinco. O Sporting de Benguela ocupa o terceiro lugar, com três pontos.
O Progresso Associação Sambizanga está na quarta posição, com dois pontos. Amigos de Viana ocupam o último lugar, com um ponto. 
M.C

CASO SELENGUE
Direcção da FAB  continua no silêncio

A direcção técnica da Federação Angolana de Basquetebol continua remetida ao silêncio quanto ao caso «Lifetu Selengue», posto congolês democrata do Recreativo do Libolo que foi suspenso por tempo indeterminado pela FAB, por falsificação de identidade.
O atleta já representou as cores do 1º de Agosto, Atlético Petróleos de Luanda, Atlético Sport Aviação (ASA) e Grupo Desportivo Interclube foi –lhe  instaurado um processo disciplinar.
O prazo de quinze dias dado pela direcção técnica da Federação Angolana de Basquetebol para a conclusão do processo disciplinar termina hoje. O órgão reitor da modalidade no país suspendeu por um período indeterminado, o internacional congolês democrata no dia cinco do mês em curso, depois da formação do Clube Central das Forças Armadas Angolanas ter apresentado um protesto junto da direcção técnica da Federação angolana da modalidade.

Os agentes desportivos ligados a «bola ao cesto» e não só, aguardam com muita expectativa o desfecho do caso «Lifetu Selengue».
Entretanto, de acordo uma fonte federativa a equipa do Recreativo do Libolo que ocupa nesta altura o terceiro lugar do Grupo A, pode ser ilibada.
M.C

6 Comments:

Enviar um comentário

<< Home