Africa Basquetebol

14 agosto 2015

ANGOLA : Selecção viaja para Santander



Pupilos de Moncho López estão altamente moralizados para disputarem os últimos dois jogos de controlo no estágio em Espanha
Fotografia: José Cola
A Selecção Nacional de basquetebol sénior masculina segue viagem esta manhã, para a região de Santander, onde a partir de amanhã até domingo vai participar no Torneio Internacional, prova que marca o encerramento do estágio pré-competitivo que os campeões africanos realizam no Reino de Espanha, tendo em vista a disputada da 28ª edição do Campeonato Africano das Nações (Afrobasket), competição a decorrer  de 19 a 30 do mês em curso, em Radés, Tunísia.

No final da tarde, o combinado nacional faz o reconhecimento do Pavilhão que vai albergar o Torneio Internacional da modalidade, prova que vai contar com a participação do Senegal, adversário dos hendecacampeões africanos no Grupo B da fase preliminar do Campeonato Africanos das Nações da Tunísia, Polónia, para além do país anfitrião, a Espanha.

Quarta-feira última, o cinco nacional elevou para sete,  o número de vitórias, em oito jogos de controlo que efectuou até aqui em solo espanhol e averbou apenas uma derrota.

A Selecção Nacional derrotou de forma folgada o Misto da Florida, por expressivos 90-71, numa partida onde o extremo base, Carlos Morais, tetra campeão africano, brilhou ao anotar 25 pontos, dos quais dezoito marcados dos seis metros e setenta e cinco (ver peça a parte).

Com o triunfo desta quarta-feira, os angolanos que procuram o décimo segundo anel continental e, consequentemente, a sexta presença em Jogos Olímpicos, depois da estreia em 1992, em Barcelona, Espanha, Atlanta, Estados Unidos da América, em 1996, Sidney, Austrália, em 2000, Atenas, Grécia, em 2004, e Pequim, China, em 2008, anotaram já seiscentos e setenta e três pontos (663), e sofreram quinhentos e noventa e quatro pontos.

O combinado nacional está a gora com uma média de 82,8 pontos marcados por cada partida, ao passo que defensivamente continua a registar melhorias, estando agora com um média de 74, 2 pontos sofridos em cada encontro.

Das oito partidas que disputou até aqui, quatro foi com a selecção da Venezuela, a quem venceu por três ocasiões, contra apenas uma vitória dos venezuelanos.

O cinco nacional venceu a Venezuela, por 95-76, 88-85 e 72-61, ao passo que os angolanos perderam 54-84. Os campeões africanos bateram a Espanha em sub-18, por 79-63 e por 84-80 respectivamente.

Depois seguiram os triunfos frente ao All Star e o Misto da Florida, por 101-75 e 90-71.

Entretanto, a Selecção Nacional parte bastante motivada para o Torneio Internacional de Santander, tendo o seleccionador nacional, Monho López, manifestado o desejo de vencer a prova.

Os campeões africanos deixam a território espanhol na próximo segunda, dia 17, rumando para o palco da competição, onde está a ser montado cenário para o arranque da 28ª edição do Afrobasket, com início previsto para o dia 19 do mês em curso.

Para o Torneio Internacional, o técnico espanhol vai contar com os seguintes atletas: Armando Costa, Hermenegildo Santos, Braúlio Morais, Carlos Morais, Edson Ndoniema, Roberto Fortes, Rigge Moore, Felizardo Ambrósio “Miller”, Valdelício Joaquim, Yanick Moreira, Eduardo Mingas e Leonel Paulo.

Angola vai disputar a fase preliminar do Afrobasket da Tunísia, incorporada no Grupo B, juntamente com Moçambique, com quem se estreia no dia 20 do mês em curso, Senegal e Marrocos. Tunísia, país anfitrião, encabeça o Grupo A, com as similares do Uganda, Nigéria e República Centro Africana.

Egipto, penta campeão africano, à semelhança do Senegal, faz parte do Grupo C, com Gabão, Mali e Camarões, ao passo que Costa do Marfim, Cabo Verde, Argélia e Zimbabwe estão no Grupo D.


AFROBASKET


 XXII EDIÇÃO
Participantes (12): Angola, Nigéria, Egipto, Senegal, RCA, Tunísia, Argélia, Marrocos, África do Sul, Moçambique, Costa do Marfim e Madagáscar.
O Egipto chamou à si a organização da prova pela sexta vez, tornou -se no país que mais vezes o fizera. A Jogar em casa, o objectivo era o regresso às grandes conquistas, algo que não acontecia havia exactos 20 anos: Tudo estava organizado para que os anfitriões vencessem. Tanto é assim que ao invés de jogar no Cairo preferiram fazê-lo em Alexandria, a cidade em que o basquetebol dos “Faraós” conquistou precisamente o último título continental frente a Angola.

O equilíbrio de forças em presença era muito grande e havia pelo menos quatro selecções em condições reais de levantar a apetecida taça de campeão. Além de Angola e do Egipto, outros candidatos eram o Senegal e a poderosíssima Nigéria, que, embora não tivesse ganho nada, era uma selecção temível. No final de contas, porém, e sem surpresa, foi a formação angolana a subir ao mais alto degrau da escada classificativa africana. E fê-lo passando pelos donos da casa, o que é algo assinalável.

País-Sede: Egipto
Data: 07 a 16 de Agosto de 2003
Campeão: Angola

XXIII EDIÇÃO

 Depois do campeonato em Rabat’2001 a Argélia perfilava-se entre as potenciais candidatas ao título, apesar de que no campeonato anterior não conseguira melhor do que o sétimo lugar. Afinal, jogava em casa e era uma equipa em franco crescimento.

A mais cotada de todas, porém, era Angola, que detinha sete títulos, mais dois do que os seus principais rivais nessa matéria, designadamente Egipto e Senegal. Estas eram também, como sempre, candidatas ao primeiro lugar do campeonato que pela segunda vez se disputava na Argélia.

Nessa altura, já parecia muito difícil outra equipa que não Angola chegar ao primeiro lugar. E não era mentira nenhuma, pois aos seus sete títulos os angolanos acrescentaram mais um, o oitavo. Isto fez consolidar a sua hegemonia de quase duas décadas interrompidas apenas em 1997, no Senegal.

País-Sede: Argélia
Data: 14 a 24 de Agosto de 2005
Campeão: Angola:
Participantes (12): Angola, Senegal, Nigéria, Argélia, RCA, Marrocos, Mali, Tunísia, Costa do Marfim, Moçambique, África do Sul e Gabão.

XXIV EDIÇÃO
A jogar em casa, Angola era candidata número um à conquista do ceptro continental. Afinal estava em jogo o quinto título consecutivo. Numa prova marcada por várias surpresas e desilusões, Angola contava com a orientação de um técnico angolano, no caso, Alberto de Carvalho “Ginguba”,
País-sede: Angola
Data: 15 a 25 de Agosto de 2007
Campeão: Angola

Participantes (16) Angola, Camarões, Cabo verde, Egipto, Nigéria, Tunísia, República Centro-Africana, Costa do Marfim, Senegal, Marrocos, Mali, Rwanda, África do Sul, Moçambique, RD Congo, Libéria.

7 Comments:

Enviar um comentário

<< Home