Africa Basquetebol

14 abril 2013

ANGOLA : Domínio "militar" na fase de grupos


Equipa rubra e negra prepara com todo o cuidado o assalto a final
Fotografia: Jornal dos Desportos
Depois de ter ocupado o terceiro lugar da fase regular da XXXV edição do Campeonato Nacional de Basquetebol em seniores masculinos, a equipa sénior masculina do 1º de Agosto brilhou no Grupo A, ao ocupar o primeiro lugar, com 14 pontos, amealhando por isso, o ponto de bonificação para a “Final Four” que arranca a 26 do mês em curso.
Em oito jogos disputados durante a fase de Grupos, o 1º de Agosto somou seis vitórias e averbou duas derrotas.
A equipa rubra e negra, liderada pelo técnico angolano Paulo Macedo marcou na segunda etapa do BAI Basket 751 pontos e sofreu 638.
Os actuais campeões africanos em título mostraram maior consistência durante a fase de grupos, superando os demais concorrentes na luta pela coroa.
A formação do Rio Seco está fortemente engajada na conquista do título nacional, troféu que foge da galeria há dois anos.
Os militares conseguiram durante a fase de grupos duas chapas 100, contra uma do Atlético Petróleos de Luanda.
O Recreativo do Libolo também melhorou na fase de grupos, comparativamente à prestação que teve durante a fase regular da XXXV edição do BAI Basket.
Os libolenses, actuais campeões nacionais em título, tinham ocupado o quarto lugar na fase regular e terminaram a fase de grupos na segunda posição, com os mesmos 14 pontos que a equipa militar.
O representante de Calulo, em oitos jogos realizados, marcou 627 pontos e sofreu 595.
O Interclube, terceiro classificado da fase regular, manteve o lugar na fase de grupos, somando 13 pontos, fruto de cinco vitórias e três derrotas.
A série A, reservada às equipas que vão discutir o ceptro, é constituída pelo 1º de Agosto, Libolo, Interclube e Petro de Luanda. Nesta fase, as equipas defrontam-se no sistema de todos contra todos a quatro voltas.
Na série B estão ASA e as três primeiras classificadas do grupo B e na série C estão as últimas duas classificadas do grupo B. A série C é jogada à melhor de três.

BAI BASKET
Petro decepciona e termina em quarto lugar
Contra todas as expectativas, a formação do Atlético Petróleos de Luanda acabou por ser a grande decepção da fase de grupos, ao ocupar a quarta posição, à semelhança do ASA, que não venceu qualquer partida, terminando a prova na cauda da tabela classificativa, com apenas oito pontos.
Sexta-feira, na derradeira jornada do grupo A, os petrolíferos, orientados pelo técnico camaronês Lazare Adingonou, baquearam frente ao Interclube, no Pavilhão 28 de Fevereiro, por 95-90.
Vencedor da fase regular, o Petro, vice-campeão africano em título, não conseguiu manter os níveis alcançados durante o primeiro turno da competição e não foi além do quarto lugar no grupo A.
Em oito jogos disputados, a equipa do Eixo-viário conseguiu apenas três vitórias e averbou cinco derrotas, com uma das piores classificações dos últimos dez anos.
Manuel da Silva, um dos adjuntos de Lazare Adingonou, reconheceu a péssima campanha que realizaram durante a fase de grupos e prometeu uma equipa diferente na “Final Four”.
Os petrolíferos marcaram 726 pontos e sofreram 748 em oito partidas disputadas.
No Grupo B, o Vila Clotilde brilhou, ao ocupar o primeiro lugar, com 15 pontos, fruto de sete vitórias e uma derrota. Das dez equipas que disputaram a fase de grupos, o Vila foi a que mais triunfos amealhou. Em oito jogos, marcou 732 pontos e sofreu 627.

Inédito
Aviadores averbam falta de comparência

A prestação do ASA no Campeonato Nacional de Basquetebol tem sido um autêntico fracasso e na sexta-feira os aviadores perderam por falta de comparência diante do Libolo, para a décima e última jornada do Grupo A.
Na condição de equipa visitada, a formação aviadora não compareceu no Pavilhão Anexo número dois, onde devia defrontar o Libolo para o encerramento da ronda.
O Jornal dos Desportos apurou que os pupilos de Carlos Dinis estão sem receber o ordenado há mais de dois meses.
A nossa reportagem procurou ouvir alguém ligado à Comissão de Gestão mas foi mal sucedida.
Na fase de grupos, os aviadores não conseguiram qualquer triunfo, tendo somado oito derrotas. Apesar desta péssima campanha, a turma do Aeroporto entra para a série B com um ponto de bonificação. O Clube Amigos de Viana também não venceu nesta etapa da prova.
MC

Taça de Angola
Empresa Casa Real assume organização

A organização da final da XXV edição da Taça de Angola de basquetebol em seniores masculinos envolvendo as equipas do Petro e do Libolo está a cargo da Casa Real, empresa angolana de eventos desportivos, de acordo com Eurico Araújo “Boneco”, vice- presidente das selecções nacionais, quando falava em conferência de imprensa na sexta-feira.
“A organização da XXV edição da Taça de Angola está a cargo da Casa Real. Depois de algumas negociações, chegámos a um acordo”, afirmou o vice-presidente das selecções nacionais.
O director técnico da Federação Angolana de Basquetebol, Tony Sofrimento, disse que os médicos do Instituto Nacional de Emergências Médicas (INEM) são chamados para prestarem a sua colaboração durante a disputa da Taça de Angola, parceria que vai manter-se até final do Campeonato Nacional.
A primeira mão realiza-se na terça-feira e a segunda está marcada para 19. Em caso de igualdade em termos de vitórias, recorre-se a uma finalíssima em campo neutro.
Para chegar à final, o Petro de Luanda eliminou o ASA e o Libolo afastou o 1º de Agosto.
MC

Trovoada destaca andamento do projecto
O coordenador do projecto "Lance-Livre", do Sporting Clube de Benguela (SCB), Emanuel Trovoada, destacou a aposta da agremiação na formação contínua de crianças e adolescentes com potencial para a prática do basquetebol, no sentido de evitar a tendência para a delinquência juvenil.
O coordenador disse à Angop que o projecto começou há dois anos e tem a finalidade de trabalhar com os jovens.
"O projecto é um contributo da agremiação leonina de Benguela para a orientação vocacional das crianças e adolescentes, bem como um incentivo à prática desportiva", argumentou.
Para o responsável, a acção faz que um maior número de crianças e adolescentes pratique a modalidade.
"Pretendemos fazer com que as crianças, os adolescentes e os jovens estejam regularmente ocupados com o basquetebol, no pavilhão gimnodesportivo Joaquim de Araújo, do Sporting de Benguela, onde aprendem os princípios básicos", frisou.