Africa Basquetebol

30 novembro 2011

ANGOLA : Organização do FC do Porto encanta Emanuel Trovoada

O técnico de basquetebol, Emanuel Trovoada, manifestou-se impressionado com o nível de organização do Futebol Clube do Porto, onde estagiou durante cerca de 15 dias.Emanuel Trovoada referiu que o Porto é campeão por um motivo muito simples: possui uma organização excepcional. O técnico admite que se o mesmo nível de organização fosse adoptado em Angola, seria resgatada a hegemonia do basquetebol em África, cujo título foi perdido no último Afrobasket para a selecção da Tunísia.




“Hoje percebo porque é que o Futebol Clube do Porto é bom em tudo. Tem uma organização fora do normal, excepcional. Tem condições desde o aproveitamento da Caixa Dragão, nome do pavilhão, com outro tipo de conjunturas, como ginásio para musculação, tratamento de saunas, gabinete de imprensa, sala de hidromassagens, recuperação, fisioterapias, dois gabinetes técnicos, entre outros.Com essa organização toda, vem demonstrando que profissionalismo é aquilo”, exteriorizou.
De acordo com o conceituado treinador de basquetebol, no país também existem condições que permitem chegar à mesma forma de organização. Contudo, o importante é que todos os dirigentes de clubes ligados à modalidade trabalhem pelo mesmo ideal. Do seu ponto de vista, algumas agremiações angolanas possuem essas condições, nomeadamente o Petro de Luanda, Interclube, 1º de Agosto e ASA. Além disso, sublinhou ser necessário esse tipo de condições para que o próprio treinador possa avaliar e efectuar um excelente trabalho durante a época.
Quando assim é, acrescentou, existe a certeza de que se terá um basquetebol angolano mais forte em todos os escalões “e, quiçá, continuarmos a dominar no comando de selecções masculinas”. De regresso ao país, Trovoada considerou muito proveitoso o estágio efectuado, de 8 a 24 deste mês, junto da equipa principal de basquetebol do Futebol Clube do Porto, orientada pelo categorizado treinador Moncho Lopez, espanhol de nacionalidade.
Garantiu, ainda, passar a experiência e novos conceitos adquiridos ao longo do estágio em terras lusas aos demais colegas de profissão, bem como a todos aqueles que estiverem disponíveis, pois, como fez questão de sublinhar, “não devemos guardar os conhecimentos só para nós, mas passá-los aos outros”.“O estágio foi de facto espectacular. Desde que cheguei, logo na forma como fui recebido pela direcção do Futebol Clube do Porto, pela comissão técnica liderada pelo professor Moncho Lopez e também pelos atletas.Pessoalmente, conhecia alguns atletas, sobretudo o Carlos Andrade e o João Santos, por terem sido meus atletas na formação, mas fomos bem recebidos”, enalteceu.
No tocante à matéria, Emanuel Trovoada sustentou que “a bagagem veio cheia”. Avançou que os conceitos que o professor Moncho Lopez utiliza podem ser utilizados em Angola, porquanto é um jogo contínuo com muita velocidade e fundamento, sendo preciso que todos trabalhem em prol da mesma causa, que é o clube e a modalidade.
   “Vimos novas formas de trabalho, nas quais o plano de treino, principalmente o físico, é inserido ao mesmo tempo que estão a ser feitos os movimentos de fundamento, lançamentos, entre outros. Mas, antigamente, tínhamos o conceito de utilizar na primeira parte o físico. Porém, ele conseguiu, de certa forma, com este trabalho que está a ser feito, que os preparadores físicos saibam os conceitos de que o treinador precisa, o que necessita daquele jogador, as áreas que vai trabalhar. Essa actividade está a ser contínua com a componente de jogos e sistemas tácticos”, comentou.



3 Comments:

Enviar um comentário

<< Home