Africa Basquetebol

30 abril 2011

ANGOLA : Michel Gomez confirmado na selecção nacional


Com apenas cinco meses de contracto, a direcção da Federação Angolana de Basquetebol (FAB) apresentou na manhã de ontem, em conferência de imprensa, realizada no Hotel Vila Alice, em Luanda, o novo seleccionador nacional, o francês Michel Gomez, que substitui no cargo o português Luís Magalhães, demitido na última semana das funções. Ladeado de Jeans Jacques Conceição, vice-presidente da FAB, seu antigo pupilo no Limoges de França, António Sofrimento, chefe do Gabinete Técnico e de Formação, e Paulo Madeira, presidente do Conselho de Disciplina, o novo comandante dos decacampeões africanos, de 59 anos, mostrou-se bastante cauteloso quando se dirigia à comunicação social.

Sorridente e com humor elevado, Michel Gomez admitiu que conhece superficialmente o basquetebol angolano, em particular, e africano, no geral, através de participações em Campeonatos do Mundo e Jogos Olímpicos, tendo prometido trabalhar no sentido de manter o patamar que a Selecção Nacional já alcançou. “O conhecimento que tenho do basquetebol angolano é muito superficial. As referências que tenho são através das participações de Angola em Campeonatos do Mundo e Jogos Olímpicos. Sei igualmente que o melhor jogador se chama Gomes, por sinal meu homónimo”, reconheceu o francês.

Apesar disso, o novo timoneiro do cinco nacional, no seu jeito calculista, assumiu o compromisso de tudo fazer para conquistar o Campeonato Africano das Nações de Basquetebol em seniores masculinos (Afrobasket), prova a ser disputada em Antananarivo, Madagáscar, de 17 a 28 de Agosto próximo e alcançar o passe para os Jogos Olímpicos de Londres. “Não vou dizer aqui taxativamente que vamos ganhar. Eu e os meus adjuntos, assim como a direcção da federação, comunicação social e o povo angolano, vamos unir esforços para que esse objectivo seja materializado”, apelou Michel Gomez.

O francês Michel Gomez, além de dirigir os decacampeões africanos da bola ao cesto, vai cuidar das selecções jovens, onde vai ser coadjuvado pelo técnico Jaime Covilhã, medalha de ouro nos Jogos Pan-africanos da África do Sul. O preparador físico Artur Barros também faz parte da equipa técnica nacional. O técnico prometeu por outro lado, manter a filosofia de jogo da Selecção Nacional. “Nós vamos fazer um trabalho de continuidade, aproveitar o que é bom e melhorar o que está mal”, finalizou.

FAB justifica contratação de estrangeiro

Sem avançar os números que envolveram a contratação do técnico francês Michel Gomez para um período de cinco meses, atitude que, de alguma forma, tem manchado o dirigismo desportivo angolano, o chefe do gabinete técnico e de formação da FAB, António Sofrimento afirmou ontem, durante a conferência de imprensa, que a sua instituição rubricou o contracto mais barato de toda a sua história, apesar do carácter de exclusividade.

“Penso que não é éctico estarmos a revelar aqui os valores envolvidos na contratação do técnico Michel Gomez. Mas, asseguro-vos que o contracto que assinamos é o mais barato de todos os tempos. O que pagávamos para três, quatro meses, aos técnicos anteriores, o Michel vai ganhar em um ano”, disse António Sofrimento. Por sua vez, Paulo Madeira, presidente do Conselho de Disciplina da FAB, afirmou que também pesou na opção por um técnico estrangeiro prende-se com o facto dos potenciais candidatos angolanos estarem ligados a clubes.
MC

Ex-presidente pede apoio
ao novo seleccionador

Pires Ferreira, homem que dirigiu a Federação Angolana de Basquetebol durante 16 anos, sendo oito como vice-presidente e outros oito como presidente de direcção, de 1996 a 2004, frisou a necessidade de se dar o maior apoio ao novo seleccionador nacional, o francês Michel Gomez. O ex-presidente da FAB mostrou-se bastante cauteloso quando chamado a comentar a aposta do actual elenco liderado por Gustavo da Conceição.

“É alguém que veio de fora e provavelmente deve conhecer pouco sobre o basquetebol angolano, tirando como é evidente, as participações de Angola em Campeonatos do Mundo e Jogos Olímpicos. É prematuro dizer se é ou não a melhor opção, mas o importante agora é que todos nós apoiemos o novo seleccionador nacional”, disse. Pires Ferreira afirmou que a direcção da FAB deve ter as suas razões para apostar no técnico francês, em vez de um angolano. MC

Selecção conhece terceiro forasteiro

O francês Michel Gomez é o sexto técnico a comandar os decacampeões africanos, terceiro estrangeiro, depois da passagem do luso-guineense, Mário Palma e do português Luís Magalhães. Pelo conjunto nacional passaram nomes como Victorino Cunha, o malogrado Wladimiro Romero, e Alberto de Carvalho “Ginguba”, todos angolanos. MC

Quem é quem

Michel Gomez, de 59 anos de idade, começou a sua carreira de treinador profissional em 1983, em França. É quadro sénior da Federação Portuguesa de Basquetebol. De 1986 a 1990, dirigiu a formação do Limoges de França, tendo conquistado três campeonatos, foi finalista vencido da Taça Korac e campeão europeu em 1988. Já ao serviço do Pau Orthes de França, arrebatou dois campeonatos. Gomez teve passagem pela Grécia, de 1996 a 1997, tendo treinado o Paok local, com quem conquistou o terceiro lugar do campeonato. Treinou a selecção francesa de sub-20 no Campeonato Europeu de 2007, depois de ter passado pela selecção principal.

2 Comments:

Enviar um comentário

<< Home