Africa Basquetebol

22 outubro 2014

ANGOLA : Recreativo do Libolo "perde" Braúlio e Francisco Machado



Clubes chumbaram o modelo de competição do Campeonato Nacional apresentado pela área técnica da Federação angolana da modalidade
Fotografia: Paulo Mulaza
A menos de três semanas da abertura da época desportiva 2014/2015, a onda de lesões continuam a afectar a formação do Recreativo do Libolo. Trata-se de Braúlio Morais, base, e do poste Francisco Machado, este último contratado recentemente pela equipa campeã nacional em título, depois de ter sido dispensado do 1º de Agosto.
Os atletas encontram-se nesta altura em Lisboa, onde foram submetidos a uma intervenção cirúrgica, ambos no joelho esquerdo, segundo apurou o Jornal dos Desportos de fonte do clube da vila de Calulo.
De acordo ainda com a nossa fonte, Braúlio Morais e Francisco Machado podem falhar a disputa da Supertaça Wlademiro Romero, competição marcada para o dia 10 de Novembro próximo, na província de Malanje, onde a formação do Recreativo do Libolo vai jogar com o Atlético Petróleos de Luanda.
O lesionados são quatro no total, mas os internacionais Olímpio Cipriano, em Lisboa, e Carlos Morais, nos Estados Unidos da América, recuperam satisfatoriamente das mazelas.
Entretanto, a onda de lesões forçou a equipa do Recreativo do Libolo a falhar a disputa da VI edição do Torneio Internacional Victorino Cunha, prova ganha pelo Clube Central das Forças Armadas Angolanas.
Apesar destas contrariedades, o técnico Norberto Alves continua a traçar as estratégias visando a disputa da Supertaça Wlademiro Romero.
Com duas Taças de Angola conquistadas, ainda sob liderança do técnico Raul Duarte, o Recreativo do Libolo vai em busca do seu terceiro ceptro.
Arrebatar a Taça dos Clubes Campeões Africanos da "bola ao cesto" constitui uma das apostas do técnico Norberto Alves, que cumpre o seu segundo ano de contrato com o grémio de Calulo.Na época transacta, os libolenses ocuparam o terceiro lugar, posição que o técnico quer superar este ano.
"Apesar destas contrariedades todos estamos conscientes das nossas responsabilidades. Este ano tudo faremos para conquistar a Taça dos Clubes Campeões Africanos", asseverou o técnico. Depois de ter conquistado o Campeonato Nacional, a formação do Libolo virou as suas baterias para a competição africana, razão pela qual, assegurou as contratações dos postes Valdelício Joaquim, ex-Atlético Petróleos de Luanda, e Francisco Machado, ex-1º de Agosto, paraalém do base Milton Barros, ex-Grupo Desportivo Interclube.

NACIONAL
Artur Barros apela ao cumprimento das leis

O antigo seleccionador nacional de basquetebol em seniores masculinos, Artur Casimiro Barros, apelou ao cumprimento escrupuloso dos vários diplomas que vão reger a disputa da XXXVII edição do Campeonato Nacional da "bola ao cesto", prova que começa na segunda quinzena de Novembro próximo.
Para o actual vogal de direcção do Atlético Petróleos de Luanda para o basquetebol, mais do que estabelecer regras é imperioso que o organismo que tutela a modalidade seja rigoroso ao fazer cumprir os diferentes diplomas.
Cada plantel para a época desportiva 2014/2015 vai inscrever apenas 16 jogadores, sendo seis sub-20 e dois sub-18, de acordo com o Regulamento Geral da competição. O artigo seis do regulamento da prova, diz que em cada partida a equipa tem a obrigatoriedade de ter inscritos no respectivo boletim de jogo um total de 12 jogadores, sendo dez de nacionalidade angolana.
As equipas participantes no Campeonato Nacional de basquetebol em seniores masculinos são obrigadas doravante a ter escalões de formação.
"A medida é bem-vinda. Agora resta saber até que ponto as equipas vão cumprir. Felizmente, o Atlético Petróleos de Luanda há muito que tem apostado nos escalões de formação. Mais, a obrigatoriedade de ter jogadores jovens no plantel principal devia ser do próprio clube e não irem buscar a outras agremiações", disse Artur Casimiro Barros.
O técnico campeão de 2007 também se mostrou favorável quanto ao regresso dos "play-offs".
"Na fase regular o sistema seria todos contra todos a duas volta, passando para a fase seguinte as oito primeiras classificadas . Na segunda fase disputar-se-iam mais duas voltas no sistema de todos contra todos e as quatro primeiras disputavam os "play-offs"", defendeu Artur Casimiro Barros.                         
M.C

5 Comments:

Enviar um comentário

<< Home