Africa Basquetebol

31 agosto 2011

ANGOLA : Federação nega abandono de Gomez em Antananarivo

A direcção da Federação Angolana de Basquetebol negou ontem as informações segundo as quais teria abandonado, em Antananarivo, o técnico de nacionalidade francesa Michel Gomez, que dirigiu a selecção nacional no Afrobasket, sem meios financeiros para custear as despesas. O treinador e a Selecção estavam alojados no mesmo hotel, durante a participação no Campeonato Africano das Nações em Basquetebol, ganho pela Tunísia. Segundo a Rádio Cinco, na sua edição de ontem, o ex-treinador da selecção nacional foi abandonado em Antananarivo, com 54 dólares no bolso.

De acordo com o secretário-geral da referida federação, Tony Sofrimento, o treinador Michel Gomez tinha a viagem para Luanda marcada para ontem, com trânsito na África do Sul, ao contrário do grosso da delegação, que regressou no mesmo dia do jogo da final, na aeronave que transportou os excursionistas. Tony Sofrimento salientou que “era pouco prudente ter o técnico junto do público, que manifestava descontentamento em função dos maus resultados por si obtidos”.

“Não houve nenhum acto de abandono, pois o professor Michel Gomez tem a sua viagem devidamente agendada, cuja data de partida é hoje (ontem) às 12h00 para a África do Sul, onde presumimos que já se encontra e acreditamos que amanhã (hoje) embarque para Angola. Caso tenha ficado com 54 ou 300 dólares, não nos cabe afirmar, mas o certo é que as condições foram criadas”, disse.

Por outro lado, Tony Sofrimento garantiu a continuidade de Jaime Covilhã no comando técnico da Selecção Nacional, ao referir que “é pretensão da instituição ter um treinador nacional no exercício, mas que o trabalho de Michel Gomez visava transferir a sua experiência aos auxiliares angolanos e pensamos que o técnico Jaime Covilhã está à altura para continuar o trabalho”. Michel Gomez foi afastado do comando técnico ainda no decorrer da competição devido à falta de entendimento com os jogadores.

Huíla enaltece coragem do técnico Jaime Covilhã

O presidente da Associação Provincial de Basquetebol da Huíla, Luís Garrido, destacou, na segunda-feira, a coragem do técnico angolano Jaime Covilhã em assumir o comando técnico da equipa nacional, após a demissão do francês Michel Gomez, a meio da competição. Ao fazer uma avaliação da prestação de Angola no Afrobasket recém-terminado e conquistado pela Tunísia (vitória sobre Angola por 67-56), Garrido destacou a coragem do treinador angolano em assumir a equipa num período “crítico”, mas sublinhou que ele não é um milagreiro.

Luís Garrido pediu mais oportunidades para os treinadores nacionais, porque Angola sempre se deu bem quando treinada por estes.Apontou ainda a determinação dos atletas em honrar e defender as cores do país como um dos pontos mais positivos da equipa angolana, a quem pede que se faça uma homenagem pelo esforço empreendido. O responsável associativo admitiu que Michel Gomez não tinha capacidade para assumir uma selecção da envergadura da nossa, pois demonstrou um claro desconhecimento do estilo de jogar dos angolanos, factor associado às dificuldades de comunicação com os atletas.

O dirigente afirmou que a FAB, embora tenha criado condições para a preparação da equipa, falhou no aspecto relativo à contratação do treinador, pois, numa altura em que faltavam dois meses para o começo do campeonato, os aficionados alertavam para o perigo de se contratar um técnico estrangeiro, mas a federação ignorou tais avisos. Depois da derrota, Angola tem de disputar um torneio pré-olímpico para ter acesso aos Jogos de Londres do próximo ano.

3 Comments:

Enviar um comentário

<< Home