Africa Basquetebol

26 Abril 2010

ANGOLA : Direcção do 1º de Agosto pode extinguir classe feminina

A direcção do 1º de Agosto poderá extinguir o basquetebol sénior feminino, em virtude do seu plantel principal estar nesta altura a ser alvo de assédio pela formação do Grupo Desportivo Interclube, campeã nacional em título, segundo apurou o Jornal dos Desportos de uma fonte do Clube Central das Forças Armadas Angolanas.

De acordo com a nossa fonte, cerca de oitenta por cento do plantel do 1º de Agosto está a ser contactada pela direcção da equipa adstrita ao Ministério do Interior, liderada pelo categorizado técnico angolano Apolinário Paquete, que durante vários anos orientou a formação militar, tendo conquistado vários títulos nacionais, taças de Angola e Supertaças para além de Campeonatos Africanos a nível de clubes.

Na lista das jogadoras contactadas pela equipa da polícia constam nomes como a de Astrida Vicente, extremo base, Sónia Guadalupe, poste, Luísa Makuto, poste, Nacissela Maurício, extremo poste, todas internacionais angolanas, entre outras.

Sílvio Lemos, director para o basquetebol da turma Rubro e Negra, confirmou ao Jornal dos Desportos, que tem conhecimento do assédio que as atletas acima referenciadas e não só, estão a sofrer, para que as mesmas possam representar as cores do Grupo Desporto Interclube, que depois de ter ganho todas as competições a nível doméstica nomeadamente Campeonato Nacional, Taça de Angola e Supertaça, tenciona repetir a proeza esta temporada bem como atacar o Campeonato Africano das Nações a nível de clubes.

"Nós sabemos que as nossas jogadoras estão a ser contactadas a fim de irem representar as cores do Interclube. Estas atletas e tantas outras representam tão-somente o esqueleto da nossa equipa e se eventualmente saírem será extremamente difícil manter o basquetebol feminino porque como sabe, no mercado nacional não existem atletas que possam ser contratadas e mantermos os nossos objectivos que passa pela reconquista de tudo que perdemos a época transacta", asseverou o ex-internacional angolano, agora nas vestes de director para o basquetebol do Clube Central das Forças Armadas Angolanas.

Com a iminente saída de jogadoras influentes para o arqui-rival Interclube, a equipa do Rio Seco, passará a cuidar apenas da formação deixando de competir em alta competição, segundo fez saber Sílvio Lemos."A nossa competição já é bastante pobre, isto naturalmente, em função do número reduzido de equipas. Se nos tirarem as nossas atletas não teremos como continuar a competir na alta-roda do basquetebol sénior feminino", disse.

Entretanto, o director para o basquetebol do 1º de Agosto apelou as entidades de direito no sentido de intervirem junto dos clubes que ao invés de formarem, passam a vida a assediar as jogadoras de outros emblemas.O Jornal dos Desportos procurou ouvir um dos membros de direcção do Grupo Desportivo Interclube, liderado por José Martines, mas infelizmente fomos mal sucedidos.

Interclube e Promade
continuam sem vencer

As formações do Grupo Desportivo Interclube e Promade Misto de Cabinda continuam sem vencer na fase de Grupo A, quando restam apenas duas jornadas para o fim da fase de Grupos da XXXII edição do Campeonato Nacional de Basquetebol em seniores masculinos, agora denominado BAI BASKET.

Em três partidas disputadas referentes ao Grupo A, reservadas as equipas que vão discutir o título nacional da presente temporada, as formações acima referenciadas averbaram nada mais, nada menos, do que três derrotas.O representante da província mais ao norte do país, Cabinda, na próxima jornada que acontece já amanhã, terça-feira, terá como adversário a equipa afecto ao Ministério do Interior, confronto que pode decidir quem será a quarta equipa a atingir a "Final Four".

No encerramento do Grupo A, o Promade Misto de Cabinda defronta a equipa do Recreativo do Libolo do Kwanza Sul, ao passo que o Interclube medirá forças com o Atlético Sport Aviação (ASA).1º de Agosto e Recreativo do Libolo continuam invictos na fase de Grupos, com três vitórias cada.

Os militares que beneficiaram de um bónus de um ponto, lideram o Grupo A, com sete pontos, seguido do Libolo com seis. Atlético Petróleos de Luanda e Atlético Sport Aviação (ASA) vêem a seguir, com cinco e quatro pontos respectivamente.As duas últimas posição são ocupadas pelo Promade de Cabinda e Interclube, ambos com três pontos.