Africa Basquetebol

20 fevereiro 2013

ANGOLA : Sílvio Lemos reitera aposta no BAI Basket


Responsável militar acredita no sucesso da equipa
Fotografia: M. Machangongo
Apesar do rejuvenescimento que a equipa sofreu logo após a saída de Mário Palma, no final da época transacta, a formação militar conseguiu manter os níveis competitivos e o terceiro lugar alcançado durante a fase regular da XXXV edição do Campeonato Nacional de basquetebol em seniores masculinos, com 33 pontos, contra 34 do vencedor (Petro), satisfez a direcção rubro e negra, de acordo com Sílvio Lemos, director para o basquetebol daquela colectividade.
Em declarações ao Jornal dos Desportos, o ex-internacional angolano, agora nas vestes de director para o basquetebol do 1º de Agosto, reiterou uma vez mais, a pretensão da luta pela reconquista do BAI Basket e as demais provas na presente época desportiva, Taça de Angola e Supertaça Compal.
Para Sílvio Lemos, o terceiro lugar alcançado durante a fase de grupos acabou por corresponder às expectativas da direcção do clube, que apostou fortemente no rejuvenescimento do grupo visando os desafios dos próximos quatro anos.
“Nós temos consciência do nosso projecto. Como é do vosso conhecimento, o 1º de Agosto esta época renovou e muito o seu plantel, fizemos aqui uma mistura de atletas novos com atletas com alguma veterania e penso que a avaliação que faço da nossa equipa é extremamente positiva. Conseguimos um terceiro lugar, com 33 pontos, menos um ponto que o Petro de Luanda, que foi o vencedor da fase regular”, disse.
Sílvio Lemos disse também que a onda de lesões e doenças que afectaram o grupo logo após a conquista do sétimo anel continental, competição disputada em Malabo, capital da Guiné Equatorial, contribuiu em certa medida para a campanha menos conseguida da equipa na ponta final da segunda volta da fase regular da XXXV edição do BAI Basket. “Depois da conquista da Taça dos Clubes Campeões Africanos a equipa foi abalada por uma onda de lesões e doenças que certamente prejudicou o desempenho da equipa nesta ponta final da fase regular. O Armando Costa esteve lesionado e ficou parado cerca de dois meses, Joaquim Gomes Kikas e Reggie Moore estiveram adoentados, entre outros.
Mas, ainda assim, o nosso técnico conseguiu manter a equipa no pódio, facto que nos deixa satisfeitos.” Questionado sobre a fase de grupos que arranca esta sexta-feira, com o Clube Central das Forças Armadas Angolanas a medir forças com o Recreativo do Libolo, campeão nacional em título, e que no sábado tem pela frente o Interclube, Sílvio Lemos reafirmou o desejo da equipa lutar pelo ceptro nacional. “Nós nunca tivemos dúvidas em relação ao treinador que escolhemos para liderar este projecto de rejuvenescimento. Temos nesta altura uma equipa competitiva e que paulatinamente vai elevar a sua qualidade de jogo para que no final da época consigamos reconquistar o Campeonato Nacional”.

MEDIDA
Dirigente propõe castigo para os árbitros

A prestação dos homens do apito na fase regular da XXXV edição do Campeonato Nacional de Basquetebol em seniores masculinos, vulgo BAI Basket, mereceu também uma apreciação do director para o basquetebol do 1º de Agosto, Sílvio Lemos. Ao contrário da qualidade de basquetebol exibida pelas equipas que disputam o Campeonato Nacional, fundamentalmente, o Petro de Luanda, 1º de Agosto, Interclube e o Recreativo do Libolo do Kwanza-Sul, o desempenho dos árbitros na fase regular foi considerado ruim pelo director para o basquetebol do grémio militar, em face das reclamações sistemáticas dos técnicos.
“Infelizmente, continuamos a assistir a jogos do nosso BAI Basket em que os árbitros acabam por influenciar no resultado final. Atenção, eu não estou aqui a procurar justificar o terceiro lugar que nós conseguimos. Eu assisti a um jogo envolvendo Petro de Luanda e Libolo, onde se viu claramente que um árbitro estava a favor do Petro e o outro a favor do Libolo”, disse.
Sílvio Lemos questionou os critérios de nomeação dos trios de arbitragem, que no seu entender são duvidosos. “Não compreendo como é que um árbitro, por exemplo, apite oito jogos seguidos de uma mesma equipa. Será pelas suas qualidades ou porque há interesses no meio de tudo isso?”, questionou o director para o basquetebol militar. A finalizar, Sílvio Lemos propôs que, da mesma forma que punem os atletas, treinadores e dirigentes pelas falhas que cometem, os árbitros também deviam ser castigados quando apitassem mal. “Eu penso que os árbitros também deviam ser punidos porque só assim vamos conseguir combater as más arbitragens.” MC

BAI Basket
"Luta é renhida"

Depois de ter acompanhado atentamente o primeiro turno da competição, o director para o basquetebol do 1º de Agosto, Sílvio Lemos, assegurou que a luta pelo título da XXXV edição do Campeonato Nacional de basquetebol em seniores masculinos é bastante renhida, a julgar pelo potencial do quarteto formado pelas equipas do Petro de Luanda, Grupo Desportivo Interclube, 1º de Agosto e Recreativo do Libolo do Kwanza-Sul. Em face dos equilíbrios que têm existido nas partidas envolvendo estas formações, o responsável do Clube Central das Forças Armadas pensa que o vencedor da edição 35 do BAI Basket sai deste quarteto.
“Este ano existem quatro equipas que vão discutir de igual para igual o título de campeão nacional. Interclube, 1º de Agosto, Libolo e Petro de Luanda são claramente as equipas que vão lutar pela coroa nacional, isto porque os resultados falam por si.” Sílvio Lemos afirmou que este equilíbrio vai fazer com que a qualidade do basquetebol angolano melhore cada vez mais, facto que pode ajudar a nossa Selecção Nacional que este ano vai à procura do passe para o Campeonato do Mundo de 2014, a realizar-se em Espanha. Sílvio Lemos acredita que a Selecção nacional pode reconquistar o Afrobasket, desde que se faça uma preparação cuidada. M.C

RECONHECIMENTO
Lemos destaca  qualidade dos jovens

Sílvio Lemos enalteceu a postura que os atletas mais jovens da sua colectividade têm demonstrado na presente época desportiva, traçando como objectivo a conquista de todas as provas em que estiverem engajadas. Neste particular, o ex-internacional angolano deu os parabéns ao técnico Paulo Macedo que tem apostado sem receio nos novatos. “Os atletas jovens têm dado muito boa conta de si. Se nós acompanharmos os tempos dos mesmos durante a fase regular vamos encontrar três jovens com muito tempo de jogo. Refiro-me concretamente ao Hermenegildo Santos, Islando Manuel e ao próprio Adilson Baza, só para citar estes. Apostar na juventude é uma coisa que já não se via no nosso clube há vários anos”, reconheceu Sílvio Lemos, tendo destacado a coragem do técnico angolano Paulo Macedo. M.C