Africa Basquetebol

25 maio 2006

ANGOLA: Angola pode ganhar quatro novos pavilhões

Quatro Pavilhões dos mais modernos poderão ser erguidos nos próximos catorze meses, em quatro províncias do país que vão acolher o Campeonato Africano de Basquetebol em seniores masculinos, vulgo Afrobasquet, a disputar-se de 19 de Agosto a 3 de Setembro de 2007. A informação vai avançada ao Jornal dos Desportos pelo secretário geral da Federação Angolana de Basquetebol (FAB), António Celestino Sofrimento Manuel, depois de ter efectuado uma visita de prospecção às cidades do Namibe, Huíla e Benguela, no último fim de semana.
De acordo com aquele responsável, para a efectivação do referido projecto que contará com os apoios dos governos provinciais em parceria com a FAB, serão necessários vinte milhões de dólares norte americanos, valores estes que poderão ser acrescidos em função da grandeza dos recintos.
Na visita de prospecção que efectuou no último fim-de- semana, às províncias do Namibe, Huíla e Benguela, Tony Sofrimento, afirmou ter ficado impressionado com o engajamento dos governos acima referenciados que tudo fazem para acolherem o Afrobasquet/07.
“Na conversa que tivemos com suas excelências os senhores governadores das províncias que visitamos nesta primeira fase, nomeadamente, Namibe, Huíla e Benguela apercebemos de que efectivamente a um engajamento muito grande e há inclusive, e aí aparece os números, projectos já elaborados para a construção de instalações desportivas que levarão de certeza absoluta a que algum dinheiro seja gasto para este fim”.
Tony Sofrimento, disse por outro lado, que a principal dificuldade verificada nas três cidades prendesse com os recintos desportivos, já que, as que possuem não se enquadram no caderno de encargo da Fiba-Afrique. “Ora, se não se enquadram dentro do projecto da Fiba-Afrique precisamos de construir novos Pavilhões”. A questão da rede hoteleira foi igualmente inspeccionada pela delegação da FAB, chefiada pelo seu secretário geral.
O número dois da FAB disse ainda que os vinte milhões de dólares norte americanos, “não cobre a necessidade que nós temos de fazer os pavilhões conforme as propostas que encontramos já nas províncias que se preocuparam e já solicitaram empresas especializadas para fazerem estudos para a construção de novos pavilhões”.
Questionado sobre os valores a serem empregues em cada pavilhão, Tony Sofrimento afirmou que neste momento a FAB não está ainda autorizada a falar sobre processos que estão a decorrer nas províncias.
Depois da visita às províncias do Namibe, Huíla e Benguela, seguir-se-ia às províncias do Huambo, dia 24 e Cabinda , dia 26 do corrente mês.

6 Comments:

Enviar um comentário

<< Home